top of page
  • Foto do escritorGuilherme Moro

Nico Rezende impulsiona carreira com o otimista single "Vida Que Segue"

Nico Rezende é um dos grandes artistas do Brasil e alcançou projeção nacional ao interpretar o hit “Esquece e Vem”, que foi tema da novela “O Outro”, da Rede Globo, nos anos 80. Mais experiente e com a expectativa de dias melhores em meio ao turbilhão de acontecimentos ruins ao redor do mundo, ele lança o single “Vida Que Segue”. O otimismo é a palavra chefe no novo trabalho do paulista. “Em meados de maio eu acordei com essa música praticamente pronta, tanto a letra, quanto a melodia. 'Vida que segue' é uma frase meio emblemática nos nossos dias. A gente passou um ano tão difícil com esse confinamento que não combina com ninguém, muito menos com o brasileiro. As pessoas precisam ouvir músicas legais e esperançosas para poder sair desse momento complicado”, afirma.


Após o sucesso nos anos 80, Nico considera esse momento que vive em 2020 como um dos inúmeros recomeços que teve em sua carreira. “A vida é feita de recomeços. Para mim esse é um novo recomeço, pois já tive outros. Desde 2012 eu não lanço um álbum e venho acumulando muitas músicas inéditas. É sempre bom se reinventar, já que a vida é feita de momentos diferentes e eu estou em um ótimo momento”.


60 anos de vida e 40 de carreira. A trajetória de Nico Rezende é de dar orgulho a qualquer artista. No ano que vem, o décimo álbum do cantor será lançado e ele conta que todo disco lançado por um intérprete é como um filho: “Esse meu próximo álbum vem com tudo. Arrisco a dizer que será um dos melhores, pois tem músicas lindas, parcerias muito boas e uma carga criativa muito forte. Os dois discos que eu mais gosto da minha carreira são o “Paraíso Invisível” e o meu homônimo de estréia, lançado em 1987”.


Os anos 80 marcaram a chegada de Nico ao Rio de Janeiro, que de cara já foi tocar na banda de Ritchie. Após dois anos, o artista foi tocar com Lulu Santos, produziu Cazuza, gravou discos com Mariana Lima e com Roberto Carlos. Sem a intenção de ter uma carreira solo, Nico era um artista muito ligado ao estúdio. “Gravei meu primeiro disco com o Liminha, que era diretor artístico na Warner. ‘Esquece e Vem’ foi um dos grandes sucessos da década, foi uma época incrível. A música entrou na novela e fiquei conhecido nacionalmente graças a ela".


Sobre o atual mercado musical ele argumenta. “O mercado atual é muito diferente. As grandes gravadoras não existem mais e qualquer pessoa pode lançar suas próprias músicas a qualquer momento, por isso existe uma grande quantidade de músicas lançadas em dia. As letras estão um pouco primárias, no sentido das letras e conteúdo das canções. Quando eu era adolescente meu ídolo era Guilherme Arantes cantando “Planeta Água”. Eu deixo as pessoas eu julgarem por si só o que é melhor ou pior. Não quero comparar. Eu acho que a facilidade que se tem hoje deixa as músicas muito vulgarizadas e simplificadas."


 

Gostou da matéria? Para conferir todas as nossas postagens, CLIQUE AQUI.


Siga o blog nas Redes Sociais: Facebook, Instagram


Comments


bottom of page