• Guilherme Moro

Meu Funeral lança novo EP e movimenta o rock nacional

Podemos definir a banda Meu Funeral como uma das maiores representantes do que de fato significa o espírito rock and roll, não somente na sonoridade, mas também nas ações e tomadas de decisão.



A trupe carioca lançou na última sexta-feira (13), o mais novo EP, “Tropicore Hardcal”. Com quatro faixas inéditas, o projeto já está disponível em todas as plataformas digitais. Gravado no Rio de Janeiro, o EP conta com a faixa que leva o nome do grupo e que sintetiza todo o compilado.


"Esse trabalho está sendo uma conclusão da fase que iniciamos em 2021. É um EP bem punk rock. A ideia a partir de agora é fazer cada vez mais misturas", diz Lukita, vocalista do grupo.



Em maio do ano passado, o grupo lançou seu álbum de estreia, “MODO FUFU” , com oito faixas. Considerado um álbum de personalidade forte, o disco mesclou irreverência, revolta, muito punk, doses precisas de amor e muito bom-humor. Logo depois, eles lançaram o álbum “MODO FUFU AO VIVO”. Mas o carro-chefe da banda, foi o lançamento da faixa "Dançar", ao lado de Tati Quebra Barraco.


A banda comentou sobre a resistência do rock frente à novas misturas, principalmente com o funk:


"Temos uma música neste EP que fala exatamente sobre isso: O Rock And Roll Anda Tão Burocrático', que fala sobre como o rock parou no tempo e de como essa inovação é só uma readequação de uma imagem que o rock sempre teve. Muita gente reclamou e foi maravilhoso ler as críticas, porque é justamente a galera que não queremos agradar. Então, se eu não agradei esse cara, ótimo. Era isso que a gente queria. A música chamou muita atenção de nossos ídolos, como o Tico Snta Cruz, Lucas Silveira, Valesca Popozuda, então foi uma parada muito foda, conseguir chegar nesse lugar e passar essa mensagem?"



Formada por Luquita (voz, guitarra), Pepe (guitarra, backing vocal), Dan (baixo, backing vocal) e Tent (bateria e coreografias), a banda Meu Funeral já é uma das revelações da cena rock nacional. Com críticas sociais ácidas, atuais, e pertinentes, o trio usa toda sua criatividade e originalidade nas suas letras para colocar o dedo na ferida, doa a quem doer. As músicas do Meu Funeral, recheadas de power acordes, bem característicos do punk e do hardcore, seguem conquistando fãs por todo o país e adeptos ao estilo “do it yourself” do grupo. Além de tudo isso, eles são um dos poucos roqueiros da nova geração que estão em uma gravadora multinacional.


"Somos muito representativas em fincar a bandeira do rock dentro da Universal Music. Ter a oportunidade de transitar em um meio que estão os nossos ídolos. A gravadora tem uma grande importância em colocar a banda neste trânsito", afirma Lukita.


"A estrutura de comunicação que a gravadora proporciona é o que mais ajuda uma banda e não somente assessoria de imprensa, é a visão comunicativa sobre o produto. A esturtura de comunicação e posicionamento de mercado faz diferença", comenta o baterista Tent.


Com o novo EP, “Tropicore Hardcal”, o Meu Funeral pretende viajar para os diferentes cantos do Brasil para realizar apresentações ao vivo.


"Temos sonho gravar um DVD ao vivo, mas neste ano estamos focados no estúdio e ficar na estrada. Na verdade, somos uma banda que realizou poucos shows. Agora começamos a fazer nossas apresentações e vamos chegar no número ideal, que tínhamos antes da pandemia. Sentir a energia da galera, com o público cantando junto. Estamos muito felizes".