top of page
  • Foto do escritorGuilherme Moro

Samba de Colher lança EP trazendo olhar feminino e feminista para o pagode

Diretamente de Juiz de Fora, o quarteto Samba de Colher quer mostrar um novo olhar para o pagode, com uma interpretação única e feminista. As artistas lançam o EP “Pagar pra Ver”, gravado no Beco JF, mesma casa de shows que foi palco para a gravação da produção em vídeo do EP, que será lançado posteriormente. O trabalho conta com 6 faixas, sendo 5 autorais e uma composta por MC Xuxu, que faz participação especial.



O Samba de Colher é formado pela cavaquinista Alessandra Crispin, as percussionistas Isabella Queiroz e Mariana Assis e a violonista Tamires Rampinelli, todas responsáveis pelos vocais. Com o EP, elas buscam apresentar vozes femininas em uma plataforma de acolhimento e festa.


“‘Pagar pra ver’ traz, para as pessoas que ainda não nos conhecem, a energia real da nossa apresentação. Comecei a perceber que o nosso público - feminino, LGBTQIAN+ - fazia dos nossos shows um lugar de paquera. O resultado foi tão positivo que até hoje me emociono”, diz Tamires.


Crédito: Nathália Pacheco

Criado em 2018, o quarteto se uniu em prol de celebrar e se divertir com os hits do pagode dos anos 90, mas rapidamente começou a se destacar no cenário musical de sua cidade natal, Juiz de Fora, na Zona da Mata mineira.


No ano seguinte, elas apresentaram o espetáculo musical Donas da Roda para contar e contextualizar a história de mulheres que são referência para o samba e o pagode. Essas influências, misturadas com arranjos diferenciados que uniam as musicalidades de cada integrante, resultam agora no EP de estreia autoral do projeto.

Comments


bottom of page