top of page
  • Foto do escritorGuilherme Moro

Novo EP de Diego Schaun tem capa inspirada em discos dos anos 1970

“Durante Este Tempo”, o segundo EP de inéditas e autorais da carreira do cantor e compositor baiano Diego Schaun, é uma coletânea de quatro canções escritas (ou terminadas) durante o período de isolamento da pandemia de Covid-19. Outras músicas também foram compostas nesta época, mas as faixas "Pra Fora", "Pra Dentro", "Pipa" e "Hálito de Pétalas" foram escolhidas por carregarem ligações entre si, o que forma o conceito poético do EP, embora abordem temas, por vezes, diferentes.




O EP começa com duas faixas antagônicas: “Pra Fora” é uma música sobre a importância de se expor os próprios sentimentos e angústias, ainda que seja de frente para o espelho. “Quando se é verdadeiro consigo mesmo, a tendência a ser com os outros é maior. Mesmo que seja dolorido, a cicatriz será uma boa lembrança do rancor que deixou de existir.”, diz Diego. Ao contrário, a próxima faixa, “Pra Dentro”, tem um eu lírico que, num diálogo, pede insistentemente para que o deixe em paz, uma vez que não sabe lidar com suas próprias dores.


A terceira música do EP é considerada por Diego como a música de trabalho. “Pipa” começou como uma canção de amor próprio, mas a partir do conceito do EP, foi modificada. Passou, então, a ser sobre um amor que, de tão imenso e genuíno, é capaz de deixar a pessoa amada ir, o que explica a analogia a “pipa”. “Quando se ama, solta-se a linha e deixa-se a pipa ir com o vento. Amar de longe é amar demais (de forma demasiada mesmo). Quem ama de verdade inclusive deixa ir.”, explica Diego.


A última faixa tem uma letra inusitada. “Também é uma canção antiga. Surgiu em meados de 2017/2018 quando, certo dia, assisti um vídeo de uma pessoa comendo uma flor. A cena não saía da minha cabeça por semanas... Poeticamente imaginei uma pessoa mastigando uma flor para se apossar do aroma que esta exalava. Numa forma pueril até, sondei o tal hálito de pétalas. A cena é talvez bizarra. Por isso início a canção já me justificando ‘deixa pra lá, não leve a mal... não tô ficando louco’. Deixei esta canção para o final para dar um ar de leveza, já que as três anteriores são brigas de dândis, chavões sobre amor ágape e reflexões mais sérias.”


O EP tem um arranjo bastante simplificado, apenas voz e violão, em um movimento inverso aos lançamentos anteriores do artista que tinham diversos instrumentos e efeitos. "Fiz poucos arranjos e poucas dobras de violão, porque a ideia é trazer para o ouvinte a sensação de que ele está me ouvindo ali perto.", diz Diego. O EP tem uma ficha técnica enxuta quanto à gravação, uma vez que, além de Diego, apenas a mixagem e masterização foram feitas por outras mãos, as de Charles Williams.


Na capa do EP, o artista buscou inspiração nos discos dos anos 1970, em especial, os de Caetano Veloso. “Pensei numa capa que fosse objetiva, que dissesse exatamente o que se ouve no EP: voz e violão! Por isso estou sentado com o violão em punho. A parte de trás tem uma espécie de pano esticado e dá pra ver pelos vincos que é mesmo um pano. Quis deixar essa ideia de algo mambembe, como um circo ou arte de rua com improviso, já que as canções soam exatamente do jeito que as compus.”, acrescenta ele.


O EP “Durante Este Tempo” está disponível em todas as plataformas de streaming.

Bình luận


bottom of page