• Guilherme Moro

Mayla Hadalla lança Olhos Coloridos no mês da Consciência Negra

Mayla Hadalla, cantora e compositora, nasceu em São Gonçalo, cidade da região metropolitana do Rio de Janeiro, em 1982. Neste mesmo ano, nascia também um grande hit da música brasileira: Olhos Coloridos, do compositor Macau, pela voz de Sandra de Sá.


A canção, composta em 1974 e considerada um hino pela comunidade negra, foi por muitos anos inspiração para a artista – que lançou em 2018 a música Tão Linda, abordando também questões raciais, vencedora do Festival de Música Autoral de São Gonçalo (2021). Os temas se cruzam não por acaso e retratam em épocas distintas a importância da representatividade e do empoderamento das pessoas pretas numa sociedade onde o racismo é estrutural. Canções que reafirmam o valor da negritude em tom de protesto e também deboche, sem perder a alegria que lhe é própria.



Mas a conexão entre Mayla e Macau foi além. Os artistas se conheceram em 2015, na porta do consagrado Teatro Rival: “ele se aproximou de mim na calçada e falou: ‘vi uma luz tão grande em você, precisava vir aqui te dizer isso’”, conta a cantora emocionada. “Naquele momento soube que ele era o autor de Olhos Coloridos e mal pude acreditar.”


Daí em diante uma relação de amizade e admiração mútua aconteceu, culminando na participação de Mayla na live especial Olhos Coloridos – Um Hino?, realizada pelo compositor em março de 2021 com as participações especiais de grandes nomes da música como B Negão e Sandra de Sá.


Regravar Olhos Coloridos foi uma escolha natural para Mayla, música que escuta desde criança acreditando na beleza de sua mensagem e fazendo-a sentir pertencente a um grupo social historicamente invisibilizado. Agora, anos mais tarde, vê na renovação do arranjo a oportunidade de levar adiante o debate sobre raça no Brasil e no mundo. “Quero resgatar a minha ancestralidade e fazer com que mais pessoas se conectem a ela”, relata.


A produção musical foi realizada pelos parceiros de longa data da cantora, os músicos Fábio Fontoura (baterista) e Thaizinho Costa (baixista), e teve direção vocal da própria artista. A nova roupagem traz algumas surpresas e inovações que prometem emocionar e poderão ser conferidas pelo público a partir do dia 19 de novembro, véspera do Dia da Consciência Negra, momento simbólico e potente para o seu lançamento.