top of page
  • Foto do escritorGuilherme Moro

Lucas & Orelha debatem sobre racismo em novo single

Idealizado pelos produtores musicais e sócios fundadores da agência e gravadora Mousik, Umberto Tavares e Jefferson Júnior, o projeto "Felicidade Black" traz músicas e experiências que valorizam a cultura e a identidade negras e propõe discussões e trocas de experiências de vida entre artistas pretos do Brasil. Com o lançamento em meio ao mês da Consciência Negra, Lucas & Orelha encabeçam a 6ª edição do projeto com o single “Ninguém Tá Vendo Nada (Felicidade Black VI)”, disponível em todas as plataformas digitais na sexta-feira (18/11) e clipe às 12h no canal oficial da dupla.



Como o próprio nome do projeto diz, o encontro da felicidade é o tema central. Mas, neste caminho, reflete-se também sobre a negritude nos dias atuais: a vida pessoal e profissional das pessoas negras, a ideia de equidade, as diferenças dentro da comunidade, a ancestralidade, o acesso ao mercado de trabalho e a auto-imagem. ”Até hoje me pergunto como escrevi essa música, sinto que foi algo muito ancestral vindo de mim, além de falar diretamente com tudo que que já aconteceu em nossas vidas. Só consigo sentir. Queria escrever algo que falasse com a nossa realidade, em como as redes sociais nos enxergam e sobre a questão da apropriação cultural. Espero que essa música não sirva apenas para o Mês da Consciência Negra, mas tenha sua mensagem ecoada durante todos os dias”, revela Lucas.


"'Felicidade Black' é um projeto maravilhoso, clipes incríveis com participações super especiais. Essa música nada mais é do que um desabafo. É uma música grandiosa e espero que o máximo de pessoas possam ouvi-la e captar sua mensagem. Nós, pretos, vivemos em uma realidade completamente paralela em meio à tudo que acontece com pessoas brancas. A cada 23 minutos morre um jovem preto e isso não é normal. Ninguém vê nada, ou pelo menos fingem. Vale super a pena conferir, é uma mensagem pesada, é um protesto e vem da alma”, completa Orelha.



Nas edições anteriores, além do duo Lucas e Orelha, o projeto contou com nomes, como Buchecha, Mumuzinho, MC Marcinho, Rebecca, DJ Zullu, Becca Perret, Rapha Lucas, entre outros. Composta por Lucas Arcanjo (da dupla) e Jonathan Raymundo (professor de história, palestrante e escritor), “Ninguém Tá Vendo Nada (Felicidade Black VI)” evidencia os desafios do povo preto brasileiro, sob diferentes perspectivas, em meio a uma sociedade de desigualdades raciais, com muitas barreiras sociais em sua estrutura. A obra contesta direitos e questiona opressões provenientes do racismo.



Comentarios


bottom of page