• Guilherme Moro

Lucas e Orelha apresentam feat Turma do Pagode

Na esteira do lançamento do primeiro DVD da dupla Lucas e Orelha, os artistas liberam o segundo EP audiovisual nesta sexta-feira, dia 15 de abril. Em "Não Dá Pra Mentir", os artistas galgam cada vez mais espaço no pagode, contando com a participação de outras duas grandes referências do gênero: Turma do Pagode e Chininha. As 3 faixas que compõem o novo EP também ganham clipe no YouTube.


Durante a pandemia, Lucas e Orelha conseguiram se reinventar como artistas. A dupla, vencedora do programa "SuperStar", da TV Globo, em 2015, começou a publicar mashups com a releitura de vários sucessos nacionais e internacionais em suas redes. Com uma base eletrônica e sonoridades do R&B, eles regravaram diversos pagodes e chamaram muita atenção do público. Agora, os dois entram no gênero com a benção de nomes consagrados.


Em fevereiro, eles lançaram o EP "Faz Parte" com a participação do Belo. No EP "Não Dá Pra Mentir", Lucas e Orelha contam com a parceria da Turma do Pagode na música "Uber" e de Chininha em "Saudade Bateu". As três faixas do novo projeto conversam entre si quando versam sobre passado e separação, ora demonstrando respeito, ora sentindo saudade, como na faixa-título: "Mesmo não falando, dá pra te ouvir / Mesmo não tocando, dá pra te sentir / Não estamos juntos, mas eu tô aí / E você aqui, não dá pra mentir".


A mistura de bateria digital com a levada do pagode está presente em todo DVD, inclusive na estética dos artistas: o audiovisual transporta para um cenário cheio de referências da cultura afro-urbana. Como conta Orelha: "Sinto que a gente se encontrou musicalmente e atingimos uma maturidade artística. Trabalhamos para que outros jovens pretos se identifiquem conosco e acreditem que podem realizar os seus sonhos também".


Umberto Tavares, um dos maiores produtores do Brasil e que está por trás do projeto pela gravadora Mousik, elogia o trabalho dos artistas: "O DVD é uma celebração do sucesso dos mashups do Lucas e Orelha. Eles perceberam naturalmente que conseguiam aproximar o R&B do pagode".