top of page
  • Foto do escritorGuilherme Moro

Lou Garcia apresenta segundo single pela Universal Music

Hoje, Lou Garcia lança a sua mais recente música autoral e confessional intitulada “sen(ti)r perdeu a graça”. A inspiração para a composição surgiu após um momento de mudança na vida da cantora e compositora, quando ela decidiu deixar para trás um relacionamento e seguir em frente.



O videoclipe da canção mostra bem essa catarse poderosa e se vale de um simbolismo poderoso: Lou usa um anel que ganhou da pessoa que não faz mais parte de sua vida.

Lou conta que a música foi criada após uma viagem, quando ela chegou direto para o estúdio e se encontrou com Gustavo Schirmer. Os dois trabalharam juntos em um riff de guitarra e, animados com o resultado, finalizaram a gravação por volta das 5 da manhã. A cantora classifica “sen(ti)r perdeu a graça” como uma canção sincera e confessional, que consegue expressar na letra sentimentos de raiva e revolta. Lou disse que a música traz à tona muitos sentimentos de tomada de decisão. Sua mensagem para quem está passando por um momento de final de ciclo é: “vai dar tudo certo”. A cantora espera que as pessoas sintam a liberdade de cantar “sen(ti)r perdeu a graça” em alto e bom som, especialmente a parte que diz: “mas agora já deu minha hora, e eu preciso ir”.



A música representa um momento em que eu decidi seguir em frente, deixar pra trás e entender que sim, acaba. É uma música meio dramática e irônica ao mesmo tempo, porque o ‘sentir perdeu a graça’ tem o sentir de sentir (verbo) e o sentir que soa como sem ti/ ‘sem você’. Então, ao mesmo tempo que a música fala que sentir perdeu a graça, fala que sem a pessoa, perdeu a graça”, disse Lou.

Aos 22 anos, Lou Garcia é uma das principais vozes das angústias e sentimentos da Geração Z, com mais de 50 milhões de streams nas plataformas digitais e um hit viral ("Não Fosse Tão Tarde"). Ela descreve seu estilo musical como indie room, por fazer música dentro do próprio quarto, criando refrãos com um leve clima retrô, mas com melodias contemporâneas.

Comments


bottom of page