top of page
  • Foto do escritorGuilherme Moro

Guitarrista Rodrigo Simões lança disco com sonoridade latina ao jazz

O guitarrista brasileiro Rodrigo Simões, radicado em Montreal há oito anos, lança nas plataformas digitais TRE, terceiro álbum de sua carreira, pelo selo canadense de jazz Three Pines Records. Com base na guitarra latina, grooves afro-brasileiros e jazz fusion, o disco tem a inspiração do número três, com composições e melodias em 3/4, 6/8 e 9/8, e é dividido em três suítes divididas em três peças. O design também mergulha no universo místico e matemático da lógica ternária, ou seja, o número três está em todo lugar neste projeto.



Em nove títulos, TRE (três em italiano) explora a diversidade do jazz brasileiro em um estilo alegre que privilegia a improvisação. O repertório é formado por Add 1 Teco, Bituca (influenciado na alegria da música de Milton Nascimento), Baião de 3, Yardbird Free (uma referência a Charlie Parker), Ibi, Na categoria, Compo 9, Laranjeiras, todas de autoria de Rodrigo Simões e Balderrama, uma homenagem a Mercedes Sosa, de Gustavo Cuchi Leguizamon e Manuel Jose Castilla. Os arranjos são todos de Rodrigo Simões.


Nesse trabalho, Rodrigo Simões está ao lado de Carl Mayotte no baixo e Mark Nelson na bateria para formar um trio. Conta com três convidados especiais, o saxofonista Jean-Pierre Zanella em “Add 1 teco” e “Bituca”; o percussionista Elli-Miller Maboungou em “Ibi” e “Na Categoria”; a cantora Bianca Rocha que empresta sua voz nos títulos “Baião de 3” e “Compo 9”.


“TRE é um álbum sob o signo do 3, o número do equilíbrio”, explica Rodrigo Simões. E completa, “Estou sempre tentando trazer alegria para as pessoas com músicas inspiradoras, edificantes e principalmente, tento manter a música brasileira viva fora do Brasil, também contribuindo para a formação musical dos meus alunos.”


O compositor e guitarrista Rodrigo Simões já colaborou com grandes artistas ou projetos no Brasil como Orquestra à Base de Cordas convida Elza Soares, Carlos Malta, Paulinho da Viola, Dominguinhos, Zeca Baleiro e Paulinho Moska. No Canadá, com artistas como Bill McBirnie, Joel Miller, Flavia Nascimento, Alex Lefaivre, Sonia Johnson, Sienna Dahlen, Janie Renée, Daniel Bellegarde e Jean-Pierre Zanella.


Sua carreira internacional o levou à China, Austrália, Coréia do Sul, Paraguai e Estados Unidos, além de seu país adotado, o Canadá. Em 2013, lançou seu primeiro álbum autoral “Aos Velhos Amigos”, um disco de jazz com fortes influências da música da região sul. Em 2018, concluiu o mestrado em composição jazz pela Universidade de Montreal sob a supervisão do baixista Alain Caron (UZEB). Também em 2018, lançou "Jazz Brésilien", que ganhou Medalha de Bronze no Global Music Awards e foi classificado entre os cinco melhores álbuns jazz do Quebec por “Sorties Jazz Nights”.

Comments


bottom of page