top of page
  • Foto do escritorGuilherme Moro

Entrevista: Luiz Carlini revive seus mais de 50 anos de carreira em documentário

Atualizado: 21 de ago. de 2023

Uma guitarra autêntica, encorpada, com um timbre único, que se encaixa perfeitamente em sua velha e inseparável Gibson Les Paul. O bairro da Pompéia, em São Paulo, já deu grandes nomes para o rock brasileiro, mas um dos mais ilustres deles atende pelo nome de Luiz Carlini.


Foto: Ativa Cinema Digital

Nascido em 1952, este exímio guitarrista de rock é o criador da banda Tutti Frutti, responsável pela criação de clássicos da música brasileira, sendo a maioria deles presentes no álbum "Fruto Proibido", lançado em conjunto com a inesquecível Rita Lee.


Foi o guitarrista solo do Camisa de Vênus na volta do grupo nos anos 90, tocou com Titãs, Barão Vermelho, Capital Inicial e outros grupos, foi líder das bandas de Erasmo Carlos e Guilherme Arantes.


Para contar parte resumida desta grande trajetória, nesta quinta-feira (03) estreia nos cinemas de São Paulo, Rio de Janeiro, Brasília, Salvador, Belo Horizonte, Poços de Caldas, Palmas e Porto Alegre, o documentário Luiz Carlini: Guitarrista de Rock, com direção de Luiz Carlos Lucena.



O Blog Música Boa tem a honra de entrevistar um dos maiores nomes da música popular brasileira como, para falar sobre este documentário e de forma breve sobre sua grandiosa trajetória.


Blog Música Boa

Como surgiu a ideia de ter um documentário contando sobre sua história e carreira?


Carlini

Alguns amigos e fãs já me cobravam há algum tempo de ter um livro ou até mesmo um documentário, porque são muitas histórias pra contar. Foi então que o Luiz Carlos, que já era um grande amigo, e me propôs a ideia de fazer um documentário sobre a minha carreira. Fizemos algumas reuniões, mas quando veio a pandemia, as dificuldades de acesso às empresas e outras fornecedoras de imagens deram uma pausa no trabalho, mesmo ele tendo um prazo para ser finalizado. No final deu tudo certo, mesmo durante a pandemia.


Blog Música Boa

O Tutti Frutti dispensa comentários e para sempre está marcado na música deste país. De que forma surgiu o grupo?


Carlini

No começo dos anos 70, eu formei a banda Lisergia, que tinha este nome devido a situação lisérgica que nós vivíamos, com o auge da psicodelia. Quando a Rita saiu dos Mutantes nós já eramos amigos, porque nos conhecíamos desde os onze anos. Ela precisava de uma banda e nós nos aproximamos e fizemos um som. Deu muita liga! Podemos dizer que o Lisergia é o embrião do Tutti Frutti. Começamos esse trabalho e fizemos um disco que não saiu. Depois vieram os álbuns "Atrás do Porto Tem Uma Cidade" e o"Fruto Proibido", que eu gosto muito e dispensa comentários. Ele é de uma fase muito legal da banda, criativamente falando.


Blog Música Boa

Se pudesse enumerar seus cinco solos de guitarra favoritos de toda a carreira, quais seriam?


Carlini

Depois de alguns minutos de pausa...


1 - Corista de Rock | Rita Lee e Tutti Frutti

2 - Taça de Veneno | Guilherme Arantes

3 - Caçador de Deusas | Erasmo Carlos

4 - O Mal Que Habita em Mim | Camisa de Vênus

5- Ovelha Negra | Rita Lee e Tutti Frutti


Blog Música Boa

Uma das grandes parcerias de sua carreira, que inclusive foi abordada durante o longa, é a com o cantor e compositor Guilherme Arantes. Como você o conheceu e de que forma nasceu esta amizade?


Carlini

Eu conheço o Guilherme desde o início da carreira. O disco 'Coração Paulista' foi o primeiro que eu gravei com ele. Depois fiz várias turnês, participei de muitos discos e desde 2010 trabalho de forma bem ativa com ele, inclusive no álbum 'Condição Humana', que foi considerado o disco da década. Eu acho ele um cara incrível, com textos imbatíveis. Agora que ele está na Espanha, o local está influenciando no som dele e está a cada dia mais incrível.


Blog Música Boa

Existe alguma pessoa, história ou trecho que você acha que ficou de fora do doumentário e gostaria de inserir?


Carlini

Queria muito que o Lobão tivesse participado, porque temos uma parceria muito legal e muitos outros nomes ficaram de fora. Para contar minha história precisariam de no mínimo seis horas, de forma resumida. Sempre algo fica de fora. Eu gostaria que outras pessoas e histórias fossem acrescentadas. Mesmo assim, o resultado me agrada demais.


Blog Música Boa

Além do documentário, mais alguma novidade está programada para este ano?


Carlini

Neste ano o Tutti Frutti completa 50 anos e estamos preparando um show de comemoração aqui em São Paulo.

Comments


bottom of page