• Guilherme Moro

Coletivo Estoril lança seu primeiro álbum “A Cura” com mistura de afrobeat e pop

Fomentando a música autoral e independente há quase 10 anos, o Coletivo Estoril lança seu primeiro álbum, chamado “Cura”, no dia 13 de outubro. Entre regravações e músicas inéditas, o álbum traz oito faixas com uma mistura dançante de disco e afrobeat para a raíz de dub e reggae em que mergulhou a banda em seus últimos singles. O toque do tambor ganha, assim, uma linha de ritmo pop com sintetizadores para compartilhar sobre o momento de cura e ressurgimento que vivemos hoje.



O álbum “Cura” é resultado dos processos do grupo durante o período de isolamento social, quando o retrospecto inevitável sobre arte, cultura e sociedade assolou nossas memórias e nossas metas incertas. A partir da vontade de se criar um disco sobre essas reflexões, o Coletivo Estoril trilhou um caminho de pesquisas sobre vivências e sonoridades que chegaram a um repertório composto por texturas musicais que permeiam entre carimbó e o disco, o afrobeat e o pop.


Em seu conceito, o álbum se liga aos elementos da natureza e sua influência. Dentre as oito faixas do álbum, “Estrela do Mar” é seu primeiro single, já lançado, e traz as marés como simbologia das próprias idas e vindas e das ressacas pelas quais transitamos como sociedade. A canção busca força, alegria e comunhão como meios de se encontrar com o que é natural e com o que nos atinge e potencializa como comunidade. Só então, quem sabe, se possa compartilhar de uma existência com dias melhores, criando cura através da resistência.


Imagem de divulgação: Fernanda Baldo

“Este álbum é uma mensagem e uma troca de ideia sobre como e onde buscar a cura quando vivemos em uma realidade que pode ser tão dura e cruel. Como foi a luta na pandemia e como é a sobrevivência da música autoral no Brasil, por exemplo.”, conta o grupo. “Sentimos essa responsabilidade ao realizar uma música raíz. Escolhemos e nos identificamos com os instrumentos e tambores que nos fazem ressoar, que nos elevam. ‘Cura’ vem, então, para se sentir e refletir sobre as adversidades e, quem sabe, as esperanças da vida”.


O lançamento é ainda uma comemoração de quase dez anos de existência do grupo, que com inúmeros singles em seu repertório, abraça pela primeira vez a composição de um disco completo. A celebração engloba uma história coletiva não só no nome, mas na estrada que se percorreu para a permanência do grupo, que ao longo dos anos segue criando e se sustentando de maneira independente. ‘Cura’ se forma como esse amplo retrospecto com canções que se unem para compartilhar sobre o momento de cura que precisamos encontrar agora.