top of page
  • Foto do escritorGabriel Quesada

Cinco grandes solos de David Gilmour

Certamente você já escutou um solo de guitarra de David Gilmour. De The Piper at the Gates of Dawn (1967), primeiro álbum de estúdio do Pink Floyd, até Rattle That Lock (2015), mais recente trabalho do guitarrista. Gilmour segue revolucionando o instrumento e sendo a principal referência para os músicos do gênero.


Foto: Onda Musicale

Abaixo, os 5 dos solos mais importantes da carreira de David Gilmour, um dos reiventores da guitarra:


5. Time


Foi em The Dark Side of The Moon (1973), álbum que consagrou o Pink Floyd, que Gilmour apresentou um dos solos mais bonitos da sua carreira. Nesta canção, sua Stratocaster faz um poético malabarismo entre as notas musicais para incorporar a inquietação de uma vida em que ‘tudo uma hora acaba’. Pouco mais de um minuto e meio foi tudo o que o guitarrista precisou para eternizar a faixa e impulsionar as vendas do disco.




4. Dogs


Não bastasse um só, Gilmour apresenta impressionantes cinco solos de guitarra na canção de Animals (1977). O destaque fica para a velocidade com que o guitarrista flutua pelas casas da guitarra, alternando entre os riffs sem descanso algum, de forma a acompanhar o ritmo um pouco mais acelerado da música. Apesar da complexidade elevada da execução, o guitarrista entrega cinco solos impecáveis.



3. Shine on You Crazy Diamond


Na canção que abre o nono álbum da banda, Wish You Were Here (1975), é a guitarra quem domina. Dividida em cinco partes, a orquestra vai tomando progressão por curtos solos, do início ao fim. Nela, o guitarrista pôde mostrar todo o seu repertório, mesclando diferentes estilos e trazendo um sequenciamento de musicalidade inovador para a época.



2. High Hopes


David Gilmour não era mais garoto na década de 90, quando o single do Pink Floyd que futuramente iria compor o álbum The Division Bell (1994) foi publicado. Nele, o guitarrista apresenta um solo angelical de quase três minutos, tirado sob um modelo de guitarra havaiana. Passeando com o slide por todo o braço do instrumento, Gilmour obtém um conjunto de vibratos belíssimos e comprova a sua intimidade com a guitarra.




1. Comfortably Numb


Comfortably Numb é, sem dúvidas, uma das canções mais famosas do Pink Floyd e a mais importante da carreira de David Gilmour. A faixa de The Wall (1979) apresentou um solo lendário do guitarrista, que vivia o seu auge como músico. O que Gilmour fez com seu instrumento nesta música é de uma beleza ímpar, e não por acaso, o solo segue sendo reproduzido no mundo todo e considerado por muitos como um patrimônio do rock.



Comments


bottom of page