top of page
  • Foto do escritorGuilherme Moro

Capital Inicial faz concurso para bandas independentes abrirem seus shows da turnê de 40 anos

São 40 anos de estrada e incontáveis shows. Nesses milhares de quilômetros percorridos, várias foram as vezes em que o Capital Inicial aproveitou seu tamanho e longevidade para dar espaço a outros artistas autorais e, agora, chegou a vez de repetir tal ação com a Capital Inicial 4.0, turnê que está movimentando as casas de shows pelo Brasil.



O quarteto formado por Dinho Ouro Preto, Yves Passarell, Fê e Flávio Lemos vai receber nas apresentações de Recife, Rio de Janeiro e Belo Horizonte três grupos convidados, escolhidos através de votação popular no Concurso de Bandas 4.0 .


Para participar, os interessados devem ser uma banda brasileira independente (sem vínculos com gravadoras, selos ou distribuidoras), possuir trabalho autoral em seu repertório, já ter se apresentado ao vivo e preencher um formulário oficial

. As inscrições acontecem até o dia 22 de agosto e todas as atualizações serão compartilhadas nas redes sociais do Capital Inicial.


“Acreditamos que essa iniciativa colabora pra conectar músicos e público. Há muito talento pelo país afora e sabemos o quanto o caminho pode ser difícil para quem tá começando, já passamos por isso”, explica Dinho, que completa: “temos certeza que o futuro está nas mãos dessas pessoas e é nosso dever usar o espaço que conquistamos ao longo desses anos pra dar visibilidade a artistas novos”.


Dividido em quatro momentos, o concurso tem como primeira etapa a curadoria realizada por uma das maiores páginas de rock do Brasil, Todo Dia Um Rock. Na sequência, um júri técnico fará a seleção dos nomes que vão passar pelo crivo do Capital Inicial, responsáveis por selecionar os seis artistas que seguirão para a votação popular. Os três vencedores serão anunciados no instagram oficial da banda.


Definida pelo vocalista como uma das turnês mais ambiciosas que já realizaram, o Capital Inicial 4.0 não só promove o encontro catártico com os fãs, como os inclui como peça fundamental nessa celebração de quatro décadas. O espetáculo conta com direção musical de Dudu Marote, produção executiva de Fernando Tidi, direção geral de Luiz Oscar Niemeyer e direção executiva de Luiz Guilherme Niemeyer. Batman Zavareze assina a direção de arte, Cesio Lima o projeto de iluminação, Eduardo Souza a direção de animação e Márcio Zavareze a direção de fotografia. Já os arranjos são da própria banda com Dudu Marote.


Comentários


bottom of page