• Guilherme Moro

Cantora e atriz Júlia Sanchez apresenta versão inédita de seu show em SP

por canções românticas no estilo jazz, pop e rock, ela idealizou e produziu seu primeiro show “Júlia Sanchez canta o Amor”, que realiza uma apresentação única e em versão inédita, dia 23 de agosto, no All of Jazz, em São Paulo.




Inspirada por mulheres fortes, a exemplo de Lady Gaga, Pitty e Nina Simone - que marcam presença no setlist de 25 canções-, a artista, que se conectou com a música ainda na infância, leva ao palco toda sua pessoalidade, impressa em cada detalhe, desde a escolha das músicas, que falam de amor de diferentes maneiras e ganham interpretações especiais com o acompanhamento de Wagner Passos ao piano, até a identidade visual, baseada em sua própria caligrafia.

O show, que contou com uma primeira apresentação há cerca de dois meses, no Espaço Cia da Revista, na capital paulista, onde Júlia se apresentava com o espetáculo musical “Tatuagem”, dirigido por Kleber Montanheiro - a quem considera seu “padrinho nas artes” e por quem se viu instigada a ir além e dar passos maiores em sua arte -, ganha agora uma versão estendida e com novidades.

“Essa apresentação é exatamente esse “ir além”: será um show mais longo, com duas entradas, troca de figurino e com a participação especial do cantor Carlos Júnior. Estou expandindo o ‘Júlia Sanchez canta o Amor’ para se transformar em uma experiência completa, para que o público possa se divertir, refletir e se emocionar através das canções escolhidas, afinal, as melhores músicas já feitas são sobre o amor”, conta ela, que acredita que o nome escolhido para o show seja uma síntese de todo o projeto, definido como pessoal, direto e emocional.

Sem abrir mão da faceta atriz, Júlia costura as canções com textos de sua autoria, em parceria com o produtor e diretor artístico Enrico Verta, e que atuam como fio condutor, apresentando ao público três formas de amor abordadas no show: amor à primeira vista, amor proibido e amor próprio. “Espero que todo esse sentimento possa ser cantado e sentido pelas pessoas que procuram ser arrebatadas e ao mesmo tempo, acolhidas”, diz.

Planejando outras novidades para o segundo semestre, a artista, que enxerga a música como um veículo poderoso de comunicação, celebra ainda o lançamento do seu primeiro single, “Como se eu tivesse lá”, previsto para novembro, e de seu primeiro EP, “Indomável”, para o mês de dezembro, que reunirá canções cuja as letras dialogam com a sensação de liberdade despertada pela busca da independência e da constante evolução.



Foto: Sergio Santoian

Cantar e Atuar

Formada em Licenciatura em Arte-Teatro pela UNESP e no Curso Técnico em Atuação para Teatro Musical do SESI/SP, iniciou seus estudos em atuação dentro do Teatro Escola Macunaíma, aos 15 anos. O desejo de ir além do canto, e explorar profissionalmente outros talentos, nasceu do encanto sentido após assistir a primeira montagem brasileira do musical “A Família Addams”, gênero em que acabou se envolvendo e onde vem escrevendo sua história há cinco anos.

No currículo de Júlia estão passagens por espetáculos como “Se Essa Lua Fosse Minha”, “O Musical da Passarinha”, “Carmen - A Grande Pequena Notável”, “Tatuagem” - que considera como um divisor de águas em sua trajetória - e “Turma da Mônica em A Liga dos Pets”, da Maurício de Sousa Produções, que, após temporada no Teatro Opus Frei Caneca, em São Paulo, se apresenta em turnê pelo país.