top of page
  • Foto do escritorGuilherme Moro

Ana Castela dominou plateia do Ribeirão Rodeo Music com show de abertura do evento

O show de Ana Castela na madrugada deste domingo (21) foi responsável por abrir o Ribeirão Rodeo Music 2024, que a recebe pelo segundo ano consecutivo. A mais popular artista dentro do subgênero agronejo, arrastou uma multidão de pessoas, principalmente crianças, para o Parque Permanente de Exposições.


É impossível ignorar o talento da cantora, já que, quando cantou, demonstrou potência vocal e facilidade para alcançar as notas. É uma artista que realmente consegue ter um excelente desempenho ao vivo.


De fato, a empolgação do público infantil e adulto mostrou o quão fenomenal é a carreira de Ana Castela, que em menos de quatro anos, alcançou o topo do Brasil com hits que foram entoados do início ao fim como "Pipoco", "Boiadeira" e "Nosso Quadro", isso sem contar os feats com outros artistas: "Canudinho" (com Gusttavo Lima), "Bombonzinho" (com Israel & Rodolfo), "Palhaça" (com Naiara Azevedo) e outros.


Minha geração, que nasceu no início da década de 2000, nunca viu nada parecido com a adoração e carinho que as crianças têm com a sertaneja. Em todos os momentos da apresentação foi possível ver cartazes de demonstração de carinho, além das entregas de presentes em cima do palco. Uma loucura, que gerava um barulho ensurdecedor a cada final de música. Ela foi ovacionada.


Outro ponto positivo da apresentação foi o momento que a cantora resgatou clássicos da música sertaneja como "As Andorinhas", “O Grande Amor da Minha Vida” e outros, possibilitando que uma nova geração conheça essas canções. Aliás, a bandeira que Castela levanta ao utilizar o chapéu e falar sobre a vida no campo em grande parte das canções, é muito benéfica para o sertanejo.


A parte final do show ainda contou com o famoso cavalo metálico, que apareceu pela primeira vez durante a agravação do DVD “Boiadeira Internacional” (2023).


Em muitos momentos da apresentação, as coreografias e brincadeiras foram o foco da cantora, que deixava o microfone de lado para se dedicar à essas interações, na teoria, secundárias em um show de uma artista sertanejo. A produção encobria com playback os momentos que não cantava. A música ficou em segundo plano.


Essa observação não tem nenhum cunho moral, já que artistas do mundo pop sempre se beneficiaram do playback para fazer performances de dança nos shows, mas é inegável que o abandono do microfone e dedicação somente à coreografia me incomodou.


Isso é um claro reflexo da influência dos vídeos rápidos de aplicativos como TikTok e Instagram em sua carreira, onde ela não precisava se preocupar com sua performance cantando.


Nada disso comprometeu o show da artista, que teve o público na mão durante todo o tempo e conquistou as milhares de pessoas que lotaram o primeiro dia de atrações do RRM, que ainda contou com Hugo & Guilherme, Alok e Luan Pereira.


O evento retorna no próximo dia 26 de abril, sexta-feira, com shows de César Menotti & Fabiano, Zé Neto & Cristiano, Lauana Prado e Locos.


Commentaires


bottom of page