• Guilherme Moro

Aline Vivas celebra 10 anos de carreira

Presença constante no cenário independente carioca, Aline Vivas mostra sua versatilidade com o primeiro álbum solo como cantora. A artista, conhecida por integrar projetos como a banda Barba Ruiva, onde atua como baterista, agora revela outros tons e sons da sua musicalidade em um álbum plural. O lançamento de “Casulo” é da Caravela Records e chega acompanhado do clipe “Finda o Mal”, uma canção em plena sintonia com o momento político atual.



Aline Vivas faz deste álbum um recomeço. Reconectando-se com referências musicais e pessoais, ela transforma "Casulo" em uma investigação íntima e intimista. Daí o título ambivalente: casulo é de onde se sai para o mundo, mas também lugar de proteção e de ser do seu próprio tamanho.


“Casulo é espaço-tempo de transformação, ressignificando o espírito, aceitando quem sou para transcender e alcançar a totalidade. Casulo é onde me guardo e me protejo de um mundo extraordinário hostil, onde me escondo quando quero ficar só. Casulo é meu corpo. Casulo sou eu. Universo dentro e fora de mim. Aqui estão reunidas fases da minha luta para me encontrar a mim mesma e a celebração da chegada da paz interior. Musicalmente, interpreto compositores da cena contemporânea, em que me incluo, com arranjos beirando a Música Popular Brasileira com uma pegada rock and roll”, traduz Aline.


Foto: Isis Vieira

O repertório reúne uma seleção de gravações que estavam guardadas no baú da artista, somadas a duas versões de “Deixa Fluir” e a inédita “Meu Corpo”, que são de 2019. Entre os destaques está também “Finda o Mal”, um samba otimista ainda inédito e composto por Eduardo Gisi. No vídeo, Aline clama por justiça e convoca a tomar boas decisões pensando em sua existência com uma consciência superior, promovendo a paz e buscando valores autênticos como liberdade, amor próprio e conexão espiritual.


“Essa composição não pretendia falar sobre política, falava de relações pessoais conturbadas por falta de escrúpulos, mas acabou casando como imagem da situação política atual”, entrega Aline Vivas.



Celebrando 10 anos de uma intensa vivência musical, o disco tem como objetivo jogar um holofote em uma faceta ainda não tão conhecida de Aline. O aspecto pessoal está em toda a concepção do disco. As artes dos singles e do álbum são desenhos de sua filha Luisa, que estava na barriga da mãe nas gravações de “Salineiras” e “Basta”, ambas de 2012. Luisa também se une ao irmão, Juan, como câmeras do clipe de “Finda o Mal”. “Casulo” quer mostrar uma infância, um alvorecer, uma inocência, um despertar de uma cantora.


Canalizando diferentes elementos musicais que dialogam com a sua geração e diante dos desafios sociopolíticos atuais, Aline Vivas faz de sua música um reflexo do seu lugar enquanto mulher, mãe e criadora em uma safra efervescente do cenário carioca.


Ao solidificar sua trajetória como cantora, Aline já prepara seu próximo ciclo. Um lançamento já projetado une a artista a Claudio Lyra em um feat inédito, para o single “Só Vim Chegar”. Enquanto isso, é possível ouvir “Casulo” nas principais plataformas de música.