top of page
  • Foto do escritorGuilherme Moro

ZABOIO: artista apresenta seu primeiro lançamento em vinil do artista

Guinga não precisaria fazer muito mais além de ter tocado violão na introdução de “O Mundo é um Moinho”, de Cartola, em 1976, reconhecida como uma das gravações mais inspiradas da música brasileira. Ele ainda acompanhou mestres como Alaíde Costa, Beth Carvalho, Clara Nunes e João Nogueira – entre vários outros! – e tem parcerias assinadas com bambas como Aldir Blanc, Chico Buarque, Nei Lopes e Paulo César Pinheiro – entre vários outros!



Mas ele fez muito mais. Com uma carreira autoral iniciada em 1991, o compositor lançou discos regularmente ao longo das últimas três décadas e é cultuado como um dos compositores mais inspirados da atualidade.


O seu álbum mais recente, “Zaboio” (2021), nos presenteia com uma grata novidade: é o primeiro em que ele compôs tudo (letra e música) sozinho. A gravação também é quase 100% Guinga – os arranjos se sustentam predominantemente com a voz e o violão do artista e a única participação é da cantora Mônica Salmaso em duas faixas (“Paulistana Sabiá” e “Jogo de Damas”). O trabalho tem produção musical de Kassin e foi idealizado por Fernanda Vogas e Xabier Monreal.


O formato introspectivo e minimalista nos convida para uma imersão na essência de sua musicalidade e para um passeio por suas memórias e intimidade. “Meu Pai” tem um título autoexplicativo: narra sobre as lembranças da infância no convívio com seu progenitor; “A Bailarina e o Vagalume” é dedicada à neta e os versos misturam fragmentos do seu próprio tempo de criança com o da menina; “Zaboio” encerra o repertório e evoca os tempos de adolescência em Jacarepaguá (Rio de Janeiro).


Esse conteúdo emotivo recebe um tratamento digno na edição em vinil elaborada em parceria pelos selos Assustado Discos, Goma Gringa e Vogas Produções. O álbum – com tiragem limitada a 400 cópias – vem embalado elegantemente em capa dura empastada com revestimento especial e o projeto gráfico contempla outros elementos que potencializam a afetividade do trabalho.


“Zaboio” girando na agulha da sua vitrola é certeza de uma experiência inspiradora.

bottom of page