top of page
  • Foto do escritorGuilherme Moro

Soul da Paz: Banda reúne 14 líderes religiosos de diferentes crenças

Em tempos cada vez mais sombrios, onde o cancelamento em massa nas redes sociais é assunto corriqueiro em debates e discussões, o grupo Soul da Paz traz uma proposta de união entre tribos e tolerância religiosa. Formado em 2013, a banda 14 reúne líderes religiosos de diversas crenças, propondo união e aceitação.

Representando o budismo, Ricardo Camilo foi um dos primeiros integrantes a participar do grupo e relatou como a se deu a ideia para a formação da banda: “A ideia partiu do Mahesh, reverendo Hare Krishna. Ele notou que em eventos nos quais havia música, cada performance era efetuada por membros de uma mesma religião. Não havia uma banda que abraçasse as diferentes religiões e diferentes estilos. Na mesma época, em conversas com o Rabino Ventura, outro integrante da banda, eles identificaram a necessidade de expandir as discussões sobre os temas tratados nos encontros inter-religiosos para além das fronteiras destes encontros. Mahesh juntou os dois pensamentos e teve a ideia de divulgar a cultura de paz e a tolerância religiosa ao mundo, através da música”.


Recentemente o grupo lançou seu álbum de estreia, com a produção de Kiko Zambianchi e ainda conta Bruno Gouveia, participando na faixa “The Band of Peace and Soul”. Ricardo contou como essas participações de peso ajudaram na concepção desse primeiro álbum da banda: “Essa intersecção de Kiko com a banda nos ajudou muito a melhorar nossa qualidade musical individual, assim como nos ajudou a aprimorar qualidade do conjunto. Cabe ressaltar que desde a fundação, além de abarcar as diferenças religiosas, tivemos o objetivo de transitar por diferentes estilos musicais e assim poder levar nossa mensagem a um grupo maior de pessoas com gostos mais diversos. Já o Bruno Gouveia fez uma participação, mais que especial, na música 'The Band of The Peace and Soul'. É sempre enriquecedor poder estar com um músico que tenha essa qualidade vocal e experiência. Os dois se encantaram pelo projeto no instante em que conheceram e decidiram nos apoiar pelas causas que defendemos, dedicando seu tempo, experiência e paciência.


A recepção do álbum é boa e o grupo ganha destaques em diversos meios de comunicação, agregando cada vez mais pessoas nesta corrente do bem: “Após o lançamento de nossas músicas, passamos a ter maior visibilidade por parte da grande mídia que, de maneira muito atenciosa, abraçou a nossa causa. Com a divulgação por canais de massa, passamos a ser ouvidos por muita gente fora do movimento inter-religioso, pessoas com posicionamentos diversos e isso era razão para alguma apreensão de nossa parte. Passamos a ser avaliados por um público que estavam simplesmente analisando a qualidade de nosso som, sem olhar mais a fundo a proposta da banda além da música. Apesar de estarmos em um momento muito complicado de polarização e agressividade em redes sociais, com muita intolerância e haters, surpreendentemente não houve nenhum caso de comentários agressivos contra o nosso projeto ou nossa música. Sabemos que em um mundo tão diverso, cedo ou tarde encontraremos resistências e críticas mais intensas, mas é fato que até o momento a receptividade está sendo excelente".

Nesse momento de pandemia, a sanidade mental e a paz interior são assuntos pautados a todo momento. Perguntado se a mensagem da banda é algo que agrega espiritualmente nessa fase delicada, Ricardo responde: “Acreditamos que a nossa mensagem é muito relacionada com o amor ao próximo, com respeitar as diferenças, com enxergar o outro como irmão e com agir para tornar mundo um lugar melhor. Está totalmente ligada ao momento que passamos e podem ajudar as pessoas a encontrarem mais paz e se moverem no sentido de estender a mão ao próximo.

Por conta disso, durante a pandemia, fizemos um vídeo onde cada membro gravou em sua própria casa a música 'Um Ajuda o Outro'. A ideia foi justamente usar a nossa música para transmitir a mensagem de que estamos todos juntos e precisamos nos ajudar como irmãos. Convidando as pessoas a serem ativas no sentido de buscar diminuir o sofrimento de outros.



Comments


bottom of page