top of page
  • Foto do escritorGuilherme Moro

Rock in Rio Humanorama encerra a edição de 2022 com muitas conversas relevantes

Após quatro dias de profunda imersão no espetáculo do humano, o Rock in Rio Humanorama encerrou hoje a sua segunda edição. No festival de conversas, foi colocado em pauta assuntos de diversas temáticas relevantes, que acionaram toda a potência humana para a construção de um mundo melhor. O evento reuniu mais de 200 dinamizadores divididos nas conversas que aconteciam virtualmente no site do festival e presencialmente no Learning Village, em São Paulo. O resultado foi mais de 110 atividades e 50 conversas, proporcionando 50 horas de um conteúdo recheado de reflexões e questionamentos que buscam transformar o mundo em um lugar melhor.


“O Humanorama é o nosso “espetáculo do humano” e o que vimos aqui foi uma grande conversa em torno das ações da sociedade. Vivenciamos conversas em um ambiente de escuta, fala e colaboração dando a oportunidade de amplificarmos o nosso repertório e reforçar a empatia que precisa estar presente cada vez mais nas relações pessoais e, até mesmo, laborais. Estávamos ansiosos com a estreia no presencial e o que vimos foi inédito. As conexões reais que foram geradas nunca serão esquecidas. Cada um que passou por aqui levou um aprendizado novo consigo.”, comemora Agatha Arêas, VP de Learning Experience do Rock in Rio.

O dia no Learning Village começou com uma conversa inspiradora entre Agatha Arêas, Rivka, AD Junior e Sidnei Oliveira que trouxeram suas visões sobre temas como responsabilidade social e ambiental, relações humanas, trabalho, propósito, consumo, comunicação e educação, no painel que levou o nome “Olhando o mundo pelas lentes de 4 gerações”. Em meio ao bate-papo, AD Junior trouxe uma reflexão importante: “Nós precisamos entender sempre que qualquer criança que nasce hoje já nasce no século 22. Qual é o nosso objetivo para educar essa geração? É hora de começar a pensar nessas crianças.”.

Logo depois, Ana Fontes, Gilson Rodrigues e Junia Nogueira de Sá engataram no painel “A reviravolta do empreendedorismo de impacto”, destacando que o empreendedorismo de impacto social é como uma grande biblioteca repleta livros que, dependendo de um ou outro personagem, pode ter sua narrativa completamente alterada. Fechando os debates, Gabriela Augusto, Martha Gabriel e Viviane Duarte se juntaram na conversa “Parece óbvio, mas não é: um mundo melhor é um mundo mais humano”.

O encerramento do evento presencial teve clima de festa. A cantora e compositora Gabriela Gavi, ou somente ‘Gavi’ -- como é conhecida -, fez um show com um setlist marcado por suas músicas que transitam pelos ritmos do hip-hop e R&B. A inteiração com o público ficou por conta da performance de bailarinos e dragqueens responsáveis por colocar todo mundo para dançar.

Já neste último dia de evento online, as mesas iniciaram com um painel que reuniu quatro sonhadores e fazedores do impossível -- Rosa Alegria, André Castilho, Luiza Futuro e Isabelle Christina -- que trouxeram suas histórias de erros e acertos em uma conversa descontraída que teve como título “O futuro é uma imaginação coberta de sonhos”. Em seguida, o riso e o humor entraram em debate no Rock in Rio Humanrama. O bate-papo chamado “Rir continua sendo o melhor remédio” reuniu Noemia Oliveira, Pequena Lo, Felipe Haiut e Tais Lopes, que destacaram o poder imensurável da risada: "Eu acho que, sim, rir é terapêutico. Eu recebo muitas mensagens de pessoas que talvez não tenham tido um dia bom e, quando vê um vídeo, melhora o dia dela. Naquele momento que ela está rindo, a pessoa acaba esquecendo o que ela estava pensando de ruim. Eu acho que isso ajuda muito.” pontuou Pequena Lô.

Logo depois, Sónia Gonçalves, Gerly Maia, Cae Vasconcelos e Tania Chaves participaram do painel “Donos de um futuro inclusivo: como ser protagonista na promoção da diversidade e inclusão”. Na conversa, foi destacado que um dos maiores problemas da sociedade, hoje, é a falta de diversidade e pontuado que a dificuldade para trabalhar a diversidade, equidade e inclusão é a falta de conhecimento no assunto. Em seguida, Empreendedorismo e transformação entraram em debate no bate-papo entre Talita Matos, Monique Evelle , Patrícia Alencar e Celly IDD.

Já Ella Fernandes, Gringo Cardia e Rogerio José se reúniram no painel "Os sonhos que a arte realiza”. Na conversa, os participantes conversaram a arte enquanto a expressão do que temos de mais íntimo, a forma da imaginação, o rosto de uma só pessoa ou de toda uma cultura. Logo depois, Lázaro Ramos, Marcos Piangers e Deborah Nikaido conversaram sobre paternidade. O painel “Como um pai pode fazer o mundo melhor” aprofundou o tema em relação à responsabilidade paternal em um processo que, desde que o mundo é mundo, sempre foi assumido pela mulher. Fechando as conversas virtuais a temática da vez foi “Tecnologias de estimação: quem é o pet de quem? Por uma vida digital mais saudável”, com Paula Martini, Roberta Camargo, Alexandre Nascimento e Ana Carolina Muller Queiroz destacando que é preciso que as pessoas tenham uma relação mais saudável com o celular.

Pelo segundo ano consecutivo, o Rock in Rio Humanorama foi transmitido através da tm1 Live Streaming, premiada plataforma de streaming de eventos que oferece uma série de recursos customizados, como salas de transmissão simultâneas, área de workshops, facilidade de acesso aos conteúdos e ferramentas de acessibilidade e interação entre os usuários.

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page