top of page
  • Foto do escritorGuilherme Moro

O rock respira por aparelhos e a salvação pode vir de hit do TikTok

Nas últimas semanas, você deve ter ouvido por aí a música “Beggin”, uma regravação do grupo The Four Seasons. O cover que chegou ao #35 da Billboard Hot 100 Global é uma obra da banda italiana Måneskin, que foi formada em 2016 e é considerada uma das grandes salvações do rock.


A faixa é muito utilizada em redes sociais como Instagram e TikTok, o que fazem dela um hit rock entre os jovens. Há quanto tempo isso não acontecia, hein?



A trupe foi formada em 2016 por Victoria De Angelis (baixo) e Thomas Raggi (guitarra). Ambos estudavam na Scuola Media Gianicolo, no bairro romano de Monteverde. Depois de algum tempo, juntaram-se a eles Damiano David (vocal) e Ethan Torchio (bateria). O nome da banda significa "clarão da lua" ou "luar", em dinamarquês.


Não é de hoje que os adolescentes e jovens em geral, principalmente no Brasil, perderam o interesse no rock. Isso se deve ao fato de que o gênero não consegue se reinventar e se move apenas a bandas e hits do passado, como disse Dan, baixista da banda Meu Funeral, em entrevista ao Blog Música Boa há algumas semanas:


"O rock está muito burocrático e careta. Perdeu todo seu espaço no mainstream. Acho que a gente tem que se juntar com o pagode, com o funk, sem preconceitos e sem caretice”, indaga.


“Beggin” traz um vocal visceral e uma sonoridade moderna. O vocalista Damiano David é um show à parte, com uma presença de palco impressionante, mas sem deixar de lado as polêmicas, já que após a vitória da banda no Festival Eurovisão da Canção 2021, foi acusado nas redes sociais de consumir droga durante a final. David e os restantes membros da banda sempre tomaram uma posição antidroga. O próprio vocalista declarou numa entrevista à Vogue Italia:


“Nós não queremos ser o estereótipo de estrelas do rock drogadas e bêbadas".

Ele defende que a criatividade "nasce numa mente saudável, treinada e lúcida" e é contraditório exprimir "o nosso interior ao circunscrevermo-nos a algo que em contrapartida nos torna dependentes, escravos".



Nestes cinco anos de banda, eles lançaram um EP e dois álbuns de estúdio. O single “Beggin” já recebeu certificações em países como Espanha, Portugal, Estados Unidos, Inglaterra, Austrália e muitos outros.


Porque pensar que a Måneskin pode ser uma das maiores do mundo? Bom, se analisarmos fatores importantes para uma banda de rock, como um bom repertório, ativismo em causas necessárias, punch, hits e fãs fiéis, já podemos fixar os italianos como uma das grandes apostas para perdurarem neste árduo caminho, já que a banda emplacou mais de dez faixas diferentes ao redor do mundo, participam ativamente de causas contra a homofobia e antirracistas, contagiam o público com uma presença de palco impressionante, além de colecionarem fãs ao redor do mundo, inclusive no Brasil.


É importante analisar que as bandas que tem o poder de lotar estádios ao redor do mundo estão acabando, pelo desgaste entre os integrantes, pela velhice, ou até mesmo pela morte dos membros. O rock respira por aparelhos. As crianças não sentem mais vontade de ganhar uma guitarra dos pais e isso não acontece só no Brasil.


Måneskin pode ser uma grande virada de chave para que a indústria musical e o mainstream voltem a olhar para o rock. Isso não depende só deles, mas também de você, roqueiro que sempre critica tudo de novo que aparece no gênero, sempre reclamando “que tal banda era melhor”. Vai dar uma chance pra essa galera ou prefere ouvir suas bandas favoritas sem se importar se as próximas gerações vão sequer saber o que é uma canção de rock?

Comments


bottom of page