• Guilherme Moro

Max Cavalera quebra o silêncio e fala sobre separação do Sepultura: "Me culpe"

Uma das mais antigas brigas midiáticas dentro do cenário do rock, sem sombra de dúvidas, é entre os Irmãos Cavalera e o Sepultura. Recentemente, a novela ganhou um novo capítulo, pois o antigo vocalista da banda mineira, Max Cavalera, concedeu uma entrevista no último dia 15 deste mês falando de forma inédita sobre a separação do Sepultura. O depoimento foi concedido durante o programa The Dan Can Show.



Para que nunca sequer ouviu falar sobre o que houve, Max Cavalera (vocalista e guitarrista) e Igor Cavalera (baterista) foram mebros fundadores do Sepultura. Max deixou a banda aem 1996, pouco depois do lançamento do clássico álbum "Roots" e Igor deixará o grupo dez anos mais tarde, mais precisamente, em 2006.


Durante a entrevista, Dan perguntou para Max se ele imaginou que os membros remanescentes continuariam com a banda após sua saída. Segundo publicou pelo portal Whiplash, o vocalista respondeu a questão da seguinte forma: "Acho que a julgar por suas personalidades, sim, eu pensei que eles continuariam".


Leia aqui: Nasi fala sobre André Jung, ex-baterista do Ira!: "Eu posso dizer com todas as letras, que tudo que o André ganhou na música ele deve a mim"


Ele ainda completou dizendo sobre as emoções que sentiu durante aquele momento de sua vida "É realmente uma mistura de emoções, especialmente porque eu e Igor estávamos lá, bem no começo, e ninguém que está na banda agora estava lá, nem mesmo Paulo (baixista do Sepultura) estava lá no começo. Então, é algo que parece muito pessoal e sagrado estar lá no início e não estar agora. Ao mesmo tempo, é uma daquelas coisas na vida que simplesmente acontecem e você tem que seguir em frente com outras coisas. Eu não me arrependo. Uma dessas coisas, porém, vou dizer, é extremamente frustrante para mim que alguns fãs não entendam, e é muito fácil culpar as pessoas por isso. Muita gente acaba culpando minha esposa, Gloria. Eles sempre dizem: ‘Ela acabou com a banda’. E a verdade é que nos distanciamos; começamos a nos odiar, cara. Aconteceu com os Beatles e aconteceu com muitas outras bandas, como o Pantera. É apenas como as coisas são. Nós simplesmente não encontrávamos mais a alegria de tocar um com o outro e era hora de seguir em frente. Portanto, é injusto culpá-la: ‘Vamos apenas culpá-la. Ela deve ser a razão pela qual isso aconteceu’. E não, de jeito nenhum. Nós somos a razão. Prefiro que me culpem do que ela ou outra pessoa. Me culpe pela separação do Sepultura. Eu preferiria muito mais isso", respondeu.


O Sepultura atualmente segue seu curso como uma das bandas mais influentes da história do metal. Hoje, o grupo mineiro tem como membros Paulo Jr. (baixo), Andreas Kisser (guitarra), Derrick Green (vocais) e Eloy Casagrande (bateria).


Após deixar o Sepultura, Max formou a banda Soufly, que também conquistou grande relevância mundialmente dentro do cenário do metal