top of page
  • Foto do escritorGuilherme Moro

Massa reúne Rildo Hora e Xande de Pilaresem single que exalta o carnaval

O cantor e compositor carioca Massa cai no samba muito bem acompanhado. O single “Ah, o Carnaval” chega às plataformas digitais nesta sexta-feira (17/02) e conta com a participação especial de Xande de Pilares e luxuoso arranjo de Rildo Hora. A canção, com distribuição da ONErpm, também ganha clipe lançado simultaneamente no canal do artista, no Youtube.


Ah, o carnaval! reuniu grandes músicos do samba e tem influência direta do clima frenético dos desfiles, dos blocos e do Cacique de Ramos, berço dos sambistas que deram origem ao Fundo de Quintal e também lançou para o mundo grandes artistas como Zeca Pagodinho, Almir Guineto, Arlindo Cruz, Jorge Aragão e Beth Carvalho.


“Nos primeiros singles que lancei com Sidney Magal, Zeca Baleiro e Anderson do Molejo, havia uma forte estética latina no meu som. Não perdi isso, mas mergulhei fundo no samba. E foi um caminho sem volta. Acho que um dos dias mais importantes da minha vida foi quando tive a ousadia de convidar o maestro Rildo Hora, para mim o maior produtor e arranjador do estilo no mundo, e receber o ‘sim’ dele para fazer o arranjo da minha canção. A mesma coisa posso dizer do Xande. Uma das minhas maiores referências. Foi uma honra imensa tê-lo enriquecendo a música”, destacou Massa.


“Gosto de trabalhar com os artistas independentes e foi um prazer fazer esse arranjo para o Massa exaltando o carnaval. Gostei bastante do resultado e, o melhor, agora temos uma amizade muito bacana que será coroada com muita música”, destacou o maestro Rildo Hora, produtor, arranjador, compositor, gaitista, violonista, cantor e vencedor de sete Grammys Latinos.


Portelense de coração, Massa escolheu o carnaval para homenagear, através da canção, sua maior referência musical no samba: Clara Nunes. Para ele, a artista deveria ser mais lembrada e celebrada, pois é uma das mais belas e importantes vozes da nossa história.



“Clara foi embora precocemente aos 40 anos e eu ainda não tinha nascido, mas a luminosa obra dela é eterna e muito importante na minha vida. É um repertório único, rico e profundo. As canções “Portela na Avenida” e “Serrinha” são as primeiras lembranças afetivas que tenho do carnaval na infância e, posteriormente, nas rodas de samba. Dedico essa canção que estou lançando a ela!”, ressaltou o cantor.


Comments


bottom of page