• Guilherme Moro

Marcelinho da Lua traz grandes participações em faixa "Paredão"

O cavaquinho faz tabelinha com sintetizador, enquanto um dedilhar passeia pelo violão e outro pela mesa de som. E, quando menos esperamos, estamos diante de algo totalmente novo. Partido Alto eletrônico? Por que não? Assim, surge “Partidão (Partido Alto)”, fruto de um inusitado encontro entre a melodia de Moacyr Luz, os beats de Marcelinho da Lua e a voz inconfundível do bamba Martinho da Vila. O single chega a todas as plataformas digitais com distribuição da Virgin Music Label e Benguela.


A faixa marca a estreia do duo A Luz da Lua, projeto capitaneado pelo compositor de clássicos do samba como “Saudades da Guanabara” e “Pra que pedir perdão?” com o DJ e produtor de hits com Seu Jorge e Marcelo D2. “Partidão (Partido Alto)” é a primeira de uma série de composições já gravadas pela dupla, que serão lançadas no decorrer de 2022, todas com participações de grandes nomes da música brasileira, seguindo o caminho inaugurado por Martinho da Vila. O trabalho é uma coprodução da Benguela e Tranquilo Inc.



“Quando comecei a dar algumas pistas no Instagram que estava em estúdio com o Marcelinho da Lua, teve gente que levou um susto. Mas partimos de um lugar comum: o amor pela música e pelo Rio de Janeiro. Quando soube que ele estava se arriscando na composição, não resisti em perguntar mais. Até que começamos com ‘Partidão’, um Partido Alto que entrelaça nossas referências melódicas e eletrônicas com o suingue irresistível de meu amigo Martinho da Vila. É só o começo de uma parceria que promete. Já temos muita coisa pronta e não vemos a hora de mostrar mais”, disse Moacyr Luz.


Se para muitos a mistura do samba com influências do dub, ragga e elementos da música eletrônica pode parecer inusitada, é possível afirmar o mesmo sobre como a parceria entre Luz e da Lua começou. Em um encontro casual, na Casa da Glória, um dos principais palcos da música independente no Rio de Janeiro, Marcelinho, que é diretor musical e tem seu estúdio no espaço, viu-se diante do questionamento inesperado de Moacyr. “E você, DJ, não compõe, não?”


A resposta, ainda que tímida, veio de bate pronto, em forma de um pedaço de letra recém escrita por da Lua, que saiu do bolso do DJ direto para as mãos do bamba. Inquieto por natureza, Moacyr Luz não só viu potencial nos versos como apresentou a música pronta em menos de 24h. Nascia assim ‘Partidão’, a primeira parceria da dupla que, de tão entrosada em estúdio, desdobrou para uma série de composições sob o batismo de A Luz da Lua. Entre trocas intensas de letras e melodias durante as madrugadas, o duo já tem mais de 10 composições.


“Quando mostrei despretensiosamente os primeiros trechos de ‘Partidão’, Moacyr matou no peito com maestria. Não demorou para que ele voltasse com letra completa e melodia pronta. Estrear no universo da composição apadrinhado por Moacyr Luz, e ter sua primeira música cantada por Martinho da Vila, é um sonho para qualquer artista que viva de e para a música”, disse Marcelinho da Lua.


Assim, A Luz e da Lua apresenta seu cartão de visitas, unindo tradição e modernidade ao improviso e originalidade que formam o DNA da música brasileira. Seja ela acústica, eletrônica ou o feliz resultado do encontro entre ambas.