top of page
  • Foto do escritorGuilherme Moro

Maestro, arranjador e saxofonista de ofício: Entrevista com Danilo Wanduyne

Um músico verdadeiramente completo. Danilo Wanduyne é reconhecido por seus belos arranjos e identidade genuína com o saxofone. Nessa entrevista, ele contou um pouco de sua trajetória e do que espera de seus projetos em um futuro próximo.


Blog Música Boa

Danilo, você começou a estudar música ainda na adolescência e a orquestra filarmônica de Campo Grande - RN teve grande influência no seu despertar musical. Conte um pouco da sua iniciação e fale um pouco de suas principais influências.


Danilo Wanduyne

Primeiramente, gostaria de agradecer o convite para participar dessa entrevista. Me sinto lisonjeado em contribuir com esse lindo trabalho que o Blog Música Boa vem desenvolvendo.

Iniciei na música em 2005, na centenária banda de música Monsenhor Militão Benedito de Mendonça, sob regência do saudoso Ranieri Soares. Sempre me alimentei pelo desejo de tocar saxofone e pedi um sax quebrado ao maestro para consertar. Ele estava sucateado, pois era muito antigo. O reformei e iniciei o estudo das escalas maiores. Com um ano de saxofone, me desliguei da banda e passei a compor a Filarmônica Maestro Antônio da Pastora, outra banda da cidade. Com um pouco mais de tempo, comecei a fazer arranjos, ganhei a confiança dos músicos e passei a ser o maestro dela. Depois de um tempo fui contratado para ser maestro de mais duas bandas: Filarmônica Acordes de Canaã (Paraú-RN) e Filarmônica Jovens Messiensses (Messias Targino-RN). Ainda como maestro e educador musical, ensinei em Olho D’água do Borges-RN, Almino Afonso-RN, Janduis-RN e Umarizal-RN, onde sou maestro até hoje. Minhas influências foram todas da escola americana. Curto o trabalho de grandes saxofonistas como David Sanborn, Eric Marienthal, Nelson Rangel, Gerald Albright etc.


Blog Música Boa

Apesar de ser multi-instrumentista, você tem o saxofone como instrumento de ofício. Por que a escolha do sax como instrumento principal? Conte um pouco de sua paixão pelo instrumento.


Danilo Wanduyne

A paixão pelo saxofone começou depois que ouvi um belíssimo solo da música “Carelles Whisper”, do George Michael. Essa música me toca bastante e está sempre no meu repertório. Não desmerecendo os demais mas para mim o som do saxofone é o mais lindo de todos.


Blog Música Boa

A maioria das pessoas gostam de escutar música, mas nem todas tem a determinação de estudar para aprender um instrumento. Você é maestro e tem licenciatura. Quais as maiores dificuldades sofridas por um músico profissional, no Brasil?

Danilo Wanduyne

O ponto primordial sobre as dificuldades, para mim é a desvalorização. Creio que deveria existir um órgão com políticas públicas de incentivo e fiscalização para melhor propagação e desenvolvimento dos músicos que, de fato, tem levado a música a sério. Conheço grandes músicos com um talento incrível, mas que ainda são anônimos no meio musical.

Triste por isso.


Blog Música Boa

A maior escola de qualquer músico são os palcos. Desde cedo você toca em bandas da região de Campo Grande – RN. Como essas experiências na estrada acrescentaram na sua vida musical e pessoal?


Danilo Wanduyne

Comecei a tocar em bandas muito cedo. O objetivo principal sempre foi ajudar minha família. Nas bandas conheci pessoas incríveis que me ajudaram bastante na caminhada, mas por outro lado, também pessoas de má índole. Foi um grande aprendizado, pois pude entender como eram os dois lados da moeda. Algumas desilusões quase me tiraram da música, mas consegui superar e tirar boas lições, tanto para a vida, quanto para o desenvolvimento da minha carreira pessoal, musical e profissional.


Blog Música Boa

Você trabalha como professor, lecionando Artes. Como você insere a música didaticamente em suas aulas?


Danilo Wanduyne

Apesar de ter prestado um concurso para artes/música, tenho lecionado não só música, mas as demais artes. A lei que prevê o ensino de música nas escolas já está em vigor, mas ainda não é uma realidade para nosso estado, principalmente para as escolas de pequeno porte do interior, como é o caso da nossa escola (Daniel Gurgel de Janduis-RN). A música é uma das primeiras artes e eu não poderia deixar de atribuí-la em nossas aulas. Particularmente, gosto de atividades de audição, conhecer os grandes compositores que marcaram a história, os gêneros e subgêneros da música, movimentos corporais, canto/coral, percepção musical etc.


Blog Música Boa

Fale um pouco de seus principais trabalhos como arranjador e quais são os raciocínios utilizados por você no processo de criação.


Danilo Wanduyne

Bem, como arranjador fiz diversos trabalhos que tiveram bastante relevância para as bandas locais. Gostaria de destacar um que foi o carro chefe para o meu reconhecimento como arranjador: uma seleção de músicas da banda Raça Negra. Esse pout-pourri foi de extrema importância para que meu nome se expandisse em boa parte dos estados brasileiros. Esse arranjo foi executado por bandas da Polícia, Marinha, Corpo de Bombeiros e tantas outras.

Sobre os raciocínios usados nas composições, são minhas vivências musicais. Estudei o básico de composição. Não gosto muito de seguir padrões e pra provar vou citar mais um arranjo que está sendo solicitado por grandes bandas do estado: trata-se do arranjo da música “Boate Azul” que ficou famosa pelo cantor da nossa cidade, o Cachorrão do Brega. O arranjo traz uma roupagem diferente da música, onde começo usando a melodia de um tema do pianista Chick Corea, depois coloco uma parte de uma composição do Mozart e, em seguida, utilizo um tema de abertura de filme para preparar a entrada da música em si, que é iniciada com a banda em silêncio e um belo dueto de trompetes.

Então pra mim não há limites para a criatividade.


Blog Música Boa

Você é sócio fundador das bandas CG4 e Forrozão de Antigamente. Como surgiu a ideia da criação dessas duas bandas? Fale um pouco das características musicais de ambas.


Danilo Wanduyne

Vamos lá! Há 14 anos, eu era sócio de uma banda de rock, a EXR (Exodus Revolution). Ela era composta por mim (vocal), meu irmão Marcus (guitarra), André (baixo) e Ceffas Fihlo (bateria). Ceffas é um grande músico e amigo que já participou de uma entrevista aqui no Blog. Quando a EXR acabou, Ceffas viajou em busca de novos horizontes e retorna no ano de 2018 e depois de uma conversa pensamos em montar um grupo versátil na nossa cidade, que pudesse atender todos os públicos. Montamos o CG4, trazendo uma roupagem ímpar nas canções, resgatando músicas que marcaram gerações e levando um mix de ritmos e musicalidade ao público apreciador da boa música. Hoje a banda é composta por mim, Henrique Lucena, Udinho Lima e Mateus Soares. Já o Forrozão de Antigamente, surge com uma reunião de ex-integrantes da banda Forró a Mais de Mil. A banda teve início com todos os integrantes sendo sócios, mas foram saindo da sociedade, restando apenas quatro dos oito sócios. A banda vem com um repertório diversificado, trazendo uma verdadeira viagem ao túnel do tempo, priorizando o forró das antigas como carro chefe, mas com uma pegada mais forrozeira e atual. Utilizamos os mais variados subgêneros do forró. A banda é composta por guitarra, baixo, bateria, metais, sanfona, teclado e três vozes, sendo duas masculinas e uma feminina.


Blog Música Boa

Como a pandemia causada pelo Covid-19 fez com que você reinventasse a sua maneira de trabalhar com a música, de modo geral?


Danilo Wanduyne

A pandemia trouxe estragos devastadores aos meus planos e projetos musicais. Como é algo que não está no meu controle, apenas aceitei. Estou lecionando artes online e fazendo lives com as bandas para que o público saiba que estamos em atividade e assim levarmos um pouco da nossa qualidade musical para dentro dos lares dos nossos ouvintes e fãs.


Blog Música Boa

Quais os seus planos para o futuro?


Danilo Wanduyne

Bem, pretendo de início fazer um trabalho de divulgação em massa com as duas bandas e levar o novo CD do Forrozão de Antigamente à todas as rádios do Nordeste. Quero gravar clipes e concretizar algumas parcerias pendentes. Pretendo também encerrar a carreira de maestro e focar mais nos estudos na minha área de atuação como professor.


Blog Música Boa

Dentre todos seus trabalhos realizados em estúdio, quais são os seus favoritos?


Danilo Wanduyne

Fiz diversos trabalhos em estúdio, alguns em projetos meus e outros com bandas por onde passei, Com certeza um trabalho que está marcado e é de suprema importância pra mim, é o meu primeiro CD instrumental, gravado no ano de 2010. Ele tem como título “Danilo Wanduyne Interpreta”. É um CD gospel que marcou bastante a minha trajetória e faço sempre questão de mencioná-lo.

 

Gostou da entrevista? Para conferir todas as nossas postagens, CLIQUE AQUI.


Siga o blog nas Redes Sociais: Facebook, Instagram

 


Comments


bottom of page