• Guilherme Moro

Leo Quintella lança versão de "Meu Sangue Ferve Por Você" em parceria com Sidney Magal

“Meu Sangue Ferve Por Você” não é só um feat: é uma obra que demonstra a força do encontro de um ícone dos anos 80 com um artista da nova geração da música brasileira. Para o cantor, compositor e multi-instrumentista Leo Quintella, o retrô modernismo é beber das fontes do passado, traduzindo-o para os dias de hoje. Leo criou o termo retro moderno para definir sua expressão artística, afinal, o artista vê no neologismo a essência de sua carreira musical. Não por acaso, Leo levou tão a sério a missão de regravar “Meu Sangue Ferve com Você”, clássico oitentista de Sidney Magal, que o próprio agora se junta a ele para uma nova versão remix, ou seja, a ideia é colocar mesmo na pista. O feat chega às plataformas digitais dia 8 de julho -- e coincidências da vida ou não, o lançamento vem um mês depois de sua primeira versão solo da música estrear Brasil afora como tema da nova novela das 19h da Globo, “Cara e Coragem”.



A ideia para a primeira regravação feita por Leo aconteceu num estalo. Ele sabia o que queria: algo animado, dançante e tropical. “Quando escrevi essas três palavras numa folha de papel, na esperança de ter uma luz, a luz veio na hora. Foi como se o rosto do Magal tivesse aparecido na minha frente. Uma miragem. Na época eu estava estudando sobre a disco music brasileira dos anos 70 e 80, e ‘Meu Sangue Ferve por Você’ era a principal música da playlist que vinha fazendo sobre o tema, mas até antes de considerar re gravá-la, pensei: já devem ter re gravado essa música 1 milhão de vezes… não será inédito.”, conta Leo.


Para sua surpresa, poucas versões tinham sido lançadas e daí veio o desafio de criar uma linha que não fosse cópia fiel da versão original. Ao finalizar a demo, já no estúdio ao lado de seu produtor Juliano Cortuah, Leo descreve como se a dupla tivesse feito um gol numa final: “Comemoramos porque sabíamos que tínhamos acertado a ideia.” E mais certo não poderia estar: após o lançamento da regravação em seu primeiro álbum “Camaleão” (2021) e todo o burburinho que causou nas redes, Magal não só entra em contato para parabenizá-lo como também para se juntar a ele para mais uma versão inédita. E para se juntar ao trio, Leo escolheu a dedo Coppola, DJ e produtor underground responsável pelo remix de “Só De Você” -- clássico romântico do disco “Rita Lee e Roberto de Carvalho” (1982).



E assim chegamos na segunda e última fase de “Camaleão”, fechando a primeira era de Leo Quintella com a quintessência do que o retro modernismo tem a oferecer. É uma música para a noite e para os bailes, celebra o fôlego das ruas, dos encontros e do calor humano. Mas mais que isso, consolida este conceito que o jovem artista criou para sua carreira, nascido desta vontade pulsante de transformar linguagens de outras épocas em mensagens contemporâneas. E quando Magal recebeu Leo no mais recente encontro na Virada Cultural de São Paulo ficou claro pela sintonia artística de duas gerações tão distantes e pela aclamação do público que o sangue ferveu -- e é só o começo.