• Guilherme Moro

Inspirada por Elis, Bethânia e Cássia Eller, Ina Magdala lança singles

A cantora e compositora Ina Magdala, uma das principais revelações da nova MPB, lança nesta sexta-feira (18) “Raízes da Corrida” e “Sacrilégio”, faixas que integram seu primeiro EP. Intitulado “Chiaroscuro”, o álbum será lançado pelo selo Alma Music e terá músicas em português e inglês. A previsão de lançamento do EP é final de março.


O processo de composição destas duas faixas foi idêntico ao das outras canções presentes no EP: Ina em frente ao piano explorando seus sentimentos, melodias e harmonias. Após todo esse processo, a cantora trabalhou na produção das canções no estúdio da Alma Music e desenvolveu a parte harmônica. “As minhas maiores inspirações [para as músicas] são as minhas vivências, mas também artistas que admiro. Acredito que essas duas faixas têm muito do que absorvo de Elis Regina, Cássia Eller, Maria Bethânia e Gilberto Gil”, conta Ina.



Nas palavras da artista, “Raízes da Corrida” é uma canção existencial, que aborda reflexões sobre como lidar com os desafios que estar vivo nos proporciona. “A mensagem principal é que cada dia apresenta oportunidades de renovação e aprendizado, e nosso coração é a luz interna que carregamos para ver com mais clareza os caminhos a serem percorridos”, relata a artista.


Enquanto “Sacrilégio” é uma música sobre as incertezas diante do término de um relacionamento afetivo. “Gosto que o eu-lírico da canção não tem a urgência de manter o outro por perto contra a vontade, mas pede apenas aviso prévio para que também possa continuar sua trajetória: 'quando for sinta-se livre, só me dê o livramento, não preciso de argumento pra também não mais ficar"’, conta Ina. Além disso, a canção possui um trecho poético inspirado nas performances de Maria Bethânia em uma mistura de francês e português.


O lançamento de “Raízes da Corrida” e “Sacrilégio” sucede “Chiaroscuro”, música tema do EP lançada há quatro semanas e que cujo clipe já possui mais de 150 mil visualizações no YouTube. O álbum composto por cinco músicas - quatro em português e uma em inglês - tem previsão de lançamento para o fim de março.


“Cada faixa é totalmente diferente, pois é a cristalização, captura de um sentimento e um estado de espírito diferente. Contudo, todas as canções conversam entre si, já que são minhas composições e mostram pedaços da minha vida e universo”, diz a compositora.


Assim como nos lançamentos anteriores, as artes plásticas são parte fundamental no trabalho da artista. A palavra “Chiaroscuro” vem do italiano, significa “luz e sombra” e é uma técnica de pintura instituída no período renascentista do século XV. A artista usa a expressão em sua composição para falar sobre a dualidade de sentimentos e dos contrastes que as emoções causam no íntimo do ser.




Sobre Ina Magdala:


Além de sua própria expressão, Ina Magdala procura através de suas composições transmitir mensagens que construam pontes e que impactem de maneira positiva o subconsciente e consciente de seu público.


Cantores que cantam com a alma são grandes inspirações para Ina, como por exemplo: Janis Joplin, Billie Holliday, Dinah Washington, James Brown, Elis Regina, Clara Nunes, Cazuza, Rita Lee, Cartola, Ella Fitzgerald, Nina Simone, Etta James, Chet Baker, Vinicius de Moraes, Tom Jobim, Beth Carvalho, entre muitíssimos outros!


A artista, que escreve poesias desde a infância e iniciou no piano aos 7 anos de idade, acredita no poder da arte como instrumento de transformação individual e coletiva. Ina passou o último ano em Portugal gravando suas primeiras faixas autorais em inglês que unem estilos como Jazz, Blues e Rock. Também gravou seu primeiro projeto de videopoesia “Chakras: Sonnets of Unity”, em que escreveu um soneto para cada chakra e realizou performances sobre os poemas, compondo seu primeiro livro audiovisual.


Em sua volta para o Brasil em 2021, a cantora assina com a Alma Music Group, onde passa a também a produzir canções em português. Seu primeiro single, "Gotta Get You", lançado em agosto do ano passado, já ultrapassou os 204 mil plays apenas no Spotify e o videoclipe está chegando nos 500 mil views apenas no YouTube. Na esteira deste single veio "Ode to Mama", uma MPB com pitadas de jazz lançada em outubro, cujo clipe já ultrapassou as 300 mil visualizações. “Meu Lar Tupiniquim”, lançado em dezembro, já acumula mais de 419 mil visualizações no YouTube.