top of page
  • Foto do escritorGuilherme Moro

Hamilton de Holanda regrava canções de Djavan em novo álbum

Rio de Janeiro - O bandolinista brasileiro Hamilton de Holanda lançou seu mais recente álbum, "Samurai", uma homenagem apaixonada ao icônico compositor Djavan. Com 12 faixas que variam de gravações instrumentais a interpretações vocais, "Samurai" é uma celebração da diversidade musical que permeia a obra de Djavan, abraçada e reinterpretada por Hamilton de Holanda e convidados especiais.



Para Hamilton de Holanda, a conexão com a música de Djavan remonta à adolescência, quando a canção "Sina" era uma peça central do repertório da banda que ele formou com amigos da escola. Mais tarde, após uma temporada em Paris, Hamilton voltou ao Brasil e recebeu de Djavan uma canção especialmente escrita para ele, que se tornou a faixa-título do álbum "Vaidade" de 2004. Essas experiências marcantes inspiraram o músico a criar um álbum inteiro dedicado à obra de Djavan.


"Samurai" é uma colaboração musical que transcende fronteiras geográficas e estilísticas. Os convidados que se juntam a Hamilton no álbum representam a riqueza da música de Djavan e as influências diversas que permeiam sua carreira. Além do próprio Djavan, que canta em "Luz" e "Lambada de serpente", o álbum apresenta artistas como Zeca Pagodinho em "Flor de lis", o uruguaio Jorge Drexler em "Lilás", Gloria Groove em "Samurai" e a indiana Varijashree Venugopal em vocalises em "Oceano".


A diversidade também é refletida nos instrumentistas convidados, que trazem uma rica paleta sonora ao álbum. O pianista cubano Gonzalo Rubalcaba aparece em "Irmã de neon", enquanto a saxofonista americana Lakecia Benjamin contribui com seu talento em "Samurai". A banda base que acompanha Hamilton é composta pelo pianista Salomão Soares, o baterista Big Rabello e o baixista André Vasconcellos, com participações dos percussionistas Armando Marçal e André Siqueira, além do trombonista Rafael Rocha.


"Samurai" é uma verdadeira celebração da musicalidade de Djavan e da habilidade de Hamilton de Holanda em mergulhar nas nuances de sua obra. Quatro das 12 faixas do álbum são retiradas do icônico álbum "Luz" de Djavan, lançado em 1982. Hamilton escolheu cuidadosamente as músicas que melhor dialogam com seu bandolim, mantendo a essência das canções originais enquanto adiciona sua própria interpretação.


A faixa de abertura, "Faltando um pedaço", é um exemplo perfeito de como Hamilton respeita a arquitetura das músicas de Djavan. Ele reproduz a introdução em baião da gravação original, adicionando seu toque pessoal ao desenvolver a melodia. Outros destaques incluem a emocionante interpretação de "Oceano", com a voz de Varijashree Venugopal, e a participação de Zeca Pagodinho em "Flor de lis".


"Samurai" não é apenas uma homenagem a Djavan, mas uma celebração da música como uma ponte entre culturas e estilos. Hamilton de Holanda une as diversas influências de Djavan em um álbum multicultural que é ao mesmo tempo uma reverência à obra do compositor e uma exploração criativa de novos sons para o bandolim.


Ao final, "Samurai" se revela como uma festa musical, onde mente, coração e quadril andam juntos, como descreve Hamilton de Holanda. O álbum é uma manifestação da nobreza e raridade da música de Djavan e da habilidade de Hamilton em mantê-la viva e pulsante para as gerações futuras.

Comments


bottom of page