top of page
  • Foto do escritorGuilherme Moro

Glaw Nader celebra a potência dos encontros no clipe “Cai Dentro”

A cantora e compositora Glaw Nader faz da sua arte um caminho para ressignificar a música afrobrasileira e trazer de volta o protagonismo para artistas negros relegados ao segundo plano.



Atualmente ela trabalha em um resgate do repertório de Baden Powell, instrumentista e compositor negro imortalizado até então, principalmente, por vozes brancas. Após se debruçar sobre os afro-sambas no EP “Canto de Xangô”, ela reúne parcerias de Baden com Paulo César Pinheiro no EP “Cai Dentro”, que ganha um clipe para a faixa-título, uma celebração dos encontros da vida.


A realização do projeto celebra, com novas cores, um repertório tão intimamente conhecido pela cantora, desde que estudava os afro-sambas para o Duo Alma e Raiz, formado ao lado do violonista Wagner Raposo a partir de 2016.


Agora, Glaw mergulha ainda mais profundo na obra de um dos instrumentistas e compositores mais importantes da música brasileira, mas faz isso sob a perspectiva de uma intérprete que valoriza a história do autor e a sua própria, sua pele e sua voz. As faixas presentes em “Cai Dentro” são parcerias entre Baden e a lenda do samba Paulo César Pinheiro, como “Lapinha”, “Vou deitar e Rolar” e “Refém da solidão".


O álbum “Tempo de amor” será o debut de Glaw Nader, com um repertório que coloca a negritude em primeiro plano - não só a de Baden Powell, como a da própria cantora. Nos arranjos, surge a presença marcante de instrumentos de percussão e um violão modal que remete ao estilo tão característico do próprio homenageado. O disco é guiado pelo vocal potente de Glaw e uma banda formada por metais, percussão, violão, baixo, bateria e teclado. Os arranjos são do guitarrista Samy Erick e incluem clássicos da MPB.


Os EPs da artista estão disponíveis em todas as plataformas de música e o clipe, no canal do YouTube de Glaw.



Comentarios


bottom of page