top of page
  • Foto do escritorGuilherme Moro

Fernando Grecco lança versão física em CD do álbum ‘Vir a Ser’

Marcada por shows ao vivo no Sesc Taubaté e Teatro da Rotina em São Paulo, Fernando Grecco, produtor, músico, cantor e compositor, divulga a estreia da versão física, em CD, de seu último álbum, "Vir a Ser". Este é seu segundo disco autoral, com um repertório que abrange estilos e ritmos que vão da bossa nova até o rap, passando pelo jazz, rock, frevo e maracatu.


"Vir a Ser" representa a mistura e fusão de estéticas musicais e literárias, elementos essenciais para a criação deste trabalho e para a expressão artística de Grecco. O álbum conta com destaques como a faixa-título "Vir a Ser", sobre a mudança e impermanência, "Agora",composta na pandemia, sobre viver o hoje, Maracatu da Verdade, com poesia falada sobre conceito da verdade segundo Nietzsche, o rap "Inevitável Fim", com críticas a desigualdade social e aquecimento global, "É Preciso Acordar", um tributo à música brasileira e nosso país, além de "Frevo da Lua Cheia", "Vida", e "A Corda Mi".



"Vir a Ser" tem a coprodução de Alê Siqueira, mixagem de Ricardo Mosca e masterização de Carlos Freitas (Classic Master). O álbum conta com várias participações de músicos de destaque da cena paulistana e brasileira,como Ricardo Herz, Antônio Loureiro, Fábio Sá, Ana Karina Sebastião, Felipe Roseno, Cleber Almeida, Vanessa Ferreira, Limma, Swami Jr, Joana Queiroz, Louise Wooley, Sérgio Reze, Fred Heliodoro, entre outros. Os arranjos das treze faixas combinam elementos acústicos e eletrônicos, guitarras e sintetizadores. As letras tratam de temas existenciais e filosóficos, às vezes complexos, mas apresentados de forma simples e direta, algumas vezes trazendo críticas políticas e sociais.



"O tema da canção "Vir a Ser" é sobre mudança e impermanência. É claro que estamos na era do digital, mas sendo este trabalho super importante na minha carreira, marcando o início de minha jornada como produtor musical, em um disco 100% autoral, fiz questão de ter a versão física. Temos a capa e contra capa lindas da Tarita de Souza, encarte caprichado, e todas as informações e créditos de quem participou, letras e agradecimentos.  É a materialização do trabalho. Cresci ouvindo e criando uma conexão emocional com LPs e CDs, então o CD é "da maior importância" nestes tempos líquidos que vivemos. Agora é colocar o pé na estrada para circular com este novo show, enquanto preparo novas produções, um álbum instrumental de guitarra, que foi meu primeiro instrumento, e um novo trabalho de canções para 2025".

Comments


bottom of page