top of page
  • Foto do escritorGuilherme Moro

Entrevista: ZEK apresenta álbum de estreia e busca sua identidade sonora

Dando mais um importante passo em sua carreira musical, o cantor e compositor ZEK, destaque da Alma Music para a cena do pop, inicia o ano com o lançamento de “Decolagem”, seu primeiro álbum e projeto audiovisual. As faixas estão disponíveis em todas as plataformas digitais a partir de hoje e os vídeos serão divulgados no canal oficial do artista no YouTube de forma gradual.



Com uma tracklist que varia entre músicas autorais e regravações de grandes hits, o projeto foi gravado na Central 1926, embaixada cultural localizada em um prédio histórico de São Paulo, no final do ano passado e contou com uma super produção, com direito a câmeras de última geração, banda ao vivo e dançarinos. O primeiro single deste álbum, “Lua Cheia”, foi divulgado em dezembro e já conta com quase 200 mil visualizações apenas no YouTube.


"Tenho uma resposta muito boa do meu público. Canto músicas que representam minha verdade artística e parte dessas músicas já haviam sido gravadas e eu juntei este material com alguns covers. Estou animado para essa continuação. 'Lua Cheia' é a música mais comercial do disco e tem um imenso potencial. Adoro as outras faixas, principalmente 'Deus Me Free', que é a que eu mais gosto de cantar", afirma o artista.



Produzido por Antonio Eudi (empresário de ZEK e CEO da Alma Music Group) e Diogo Ville, “Decolagem” é o pontapé inicial para que o público conheça um outro lado de ZEK, como performer. Com todos os vídeos, aqueles que ainda não tiveram a chance de curtir um show ao vivo do músico conseguirão descobrir como o artista se porta num palco. O artista vem realizando shows em diversos locais do Brasil e no fim do ano se apresentou no famoso Réveillon da cidade de Punta del Este, no Uruguai.


Zek estudou música em Los Angeles, nos Estados Unidos, por seis meses, fez um curso na Universidade da Califórnia (UCLA) e outro na Musicians Institute, também na Califórnia. Sua primeira música lançada foi “I Won’t Be The Same” em 2018. Ao voltar para o Brasil em 2019, conheceu a Alma Music Group e passou a desenvolver toda a sua carreira musical com eles. Hoje, o selo é responsável pelo gerenciamento da carreira do artista.


"A construção da minha identidade sonora é o maior desafio da minha carreira até agora. Parece algo simples, mas é bem complexo chegar ao resultado ideal. É um processo criativo que envolve muitas coisas pessoais e auto conhecimento. O artista tem que estar preparado para passar determinada mensagem. Desde que encarei a música como meu projeto principal, encarei muitas etapas e hoje vejo essa identidade mais sólida. Mas de fato, é um projeto muito longo. Sinceramente, a experiência de estudar fora foi um divisor de águas maior na minha vida pessoal do que na artística", conclui



Nascido e criado na cidade de São Paulo (SP), Zek, de 26 anos, é a definição da nova geração de cantores brasileiros. O artista descobriu que podia cantar ainda jovem, durante seus encontros de família, mas entre os 14 e 17 anos, Zek passou por uma mudança de voz e desistiu de cantar, pois a voz não saia. Meses depois, já com 18 anos, o artista começou a fazer aulas de canto e percebeu que, de fato, poderia ser um cantor. Durante os seis anos seguintes, Zek permaneceu com as aulas e foi se aperfeiçoando na música.


Em 2020, o cantor lançou diversas canções, entre elas: “Eu Tentei”, “Sonhando Alto”e “Mete o Louco”. Durante o ano de 2021, Zek focou em compor e produzir músicas. Ele iniciou o ano com a faixa dançante “Você na Minha”, seguido de “Sempre Te Quis”, que atualmente possui mais de 620 mil plays apenas no Spotify.


Em 2022, ZEK participou da nova versão de “Easy”, clássico dos anos 1970, ao lado dos DJs Lucas Borchardt e Rayf. A faixa foi um dos destaques de alguns dos maiores shows que ZEK fez em 2022: Festa Mól e Óscar Party.


"Sempre me considerei um artista com um público mais nichado. Tanto é que teve uma época que eu só escrevia e cantava em inglês e de forma alguma conseguia me enxergar encaixado em um formato mais comercial. Ao mesmo tempo, eu tinha muita vontade de acessar um número maior de pessoas e este era o grande dilema, aliás, continua sendo, apesar de eu estar um pouco mais avançado neste projeto. Quero ser comercial, mas sem perder minha essência".

Comments


bottom of page