• Guilherme Moro

Entrevista: Guilherme Malanga fala sobre novo álbum ao vivo da Impavid Colossus

Impavid Colossus, uma das maiores apostas do metal nacional, apresentou nas últimas semanas o seu mais recente single, “Rise and Fall”, que fará parte do primeiro álbum ao vivo do grupo, programado para novembro.

Apesar da pouca idade, a banda é formada por músicos experientes. Ela é composta por Enrico Minelli (vocais), Marcelo Barchetta (guitarra), Felipe Ruiz (guitarra), Guilherme Malanga (baixo) e Alexandre Iafelice (bateria). Todos com muita bagagem, já fizeram parte de grupos renomados no cenário nacional e internacional, como Cruz, Owl Company, Rancore e Supla, tendo a oportunidade de tocar em diversos palcos pelo mundo e gravar com produtores de peso como Matt Wallace e Jay Baumgardner.


“ 'Rise and Fall' é uma música muito forte e adoramos esse arranjo dela ao vivo, por isso escolhemos para ser nosso single. Em meio a pandemia, com todo o setor do entretenimento parado, achamos que gravar um disco ao vivo seria uma maneira legal de entrar em contato com nossos fãs mesmo sem conseguir fazer shows”, comenta Guilherme Malanga, o baixista da trupe.

Em junho deste ano, a Impavid Colossus lançou o álbum”Prologue”, que fez um grande barulho na cena, com faixas pesadas e até com clipe cinematográfico. Com a grande recepção que o álbum de estreia trouxe aos integrantes, com certeza é criada uma grande expectativa em torno de um novo álbum, principalmente se tratando de um ao vivo.

“Ficamos muito felizes com a recepção que “Prologue” teve. É claro que bota uma certa responsabilidade na banda, mas ao mesmo tempo fazemos o que amamos e tocamos o som que nos empolga. Ter uma recepção calorosa só nos deixa mais focados para que o próximo disco seja melhor ainda!”, diz o músico.

O novo trabalho foi gravado no Family Mob Studio, trazendo toda a energia dos palcos para dentro do disco.

“Nós fizemos de uma maneira um pouco diferente por causa da pandemia. Infelizmente faltou o público e a casa de shows, por isso optamos por fazer em um estúdio. O setup foi igual ao que usamos ao vivo. O ponto legal é que o processo todo é bem mais rápido e orgânico e o resultado final é algo com uma energia diferente”, diz Guilherme.

"Ensaiamos na pressão como se fosse um show, revezando e dobrando os vocais para ter o respiro certo entre as frases e mais pressão do que no disco de estúdio”, o guitarrista Marcelo Barchetta relata.



Com a experiência em bandas renomadas, uma intensa paixão pela música e a influência de diversos gêneros que trazem um equilíbrio sonoro clássico e moderno, o Impavid Colossus inicia com muita força uma nova fase da banda, contrariando ao vivo em cores e no volume máximo, que o rock está mais vivo do que nunca.

“Estamos muito felizes com esse trabalho. Foi uma experiência fantástica para nós. Tivemos a oportunidade de trabalhar com super profissionais da área. Esperamos que todos gostem desse trabalho que foi feito com muito carinho e que nos encontremos ao vivo nos nossos shows!"