• Guilherme Moro

Entrevista com Thiago Bianchi, vocalista e fundador da Noturnall

Notunall é uma das maiores bandas de metal do Brasil. Com uma legião de fãs no mundo inteiro, a banda lançou recentemente um DVD gravado na Rússia e acumula shows lendários, participando em duas edições do Rock in Rio. Em uma entrevista exclusiva, o vocalista Thiago Bianchi falou sobre a cena metal, o novo disco que já está sendo escrito e contou como está a repercussão do mais recente DVD.


Blog Música Boa

No início de Junho foi lançado o DVD “Made in Rússia”, considerado um marco para a história do Metal brasileiro. Como foi a repercussão imediata desse trabalho e qual a importância dele, não só para banda, mas sim para a cena metal em geral? Thiago Bianchi Primeiramente, muito obrigado por ceder esse espaço para falar com os nossos digníssimos amigos e amantes da música boa. Realmente é um marco! É a primeira vez que uma banda brasileira de Heavy Metal faz um DVD na Rússia. Nós somos uma banda muito focada em quebrar barreiras e fazer coisas novas. Uma das coisas a serem ressaltadas nesse trabalho, é que nós nunca havíamos tocado juntos. Foi o primeiro show da nova formação da banda e decidimos, no meio do caminho, que iríamos gravar esse DVD. Isso é muito interessante, porque o nosso primeiro DVD (First Night Live – 2014) também foi uma apresentação em que a banda nunca havia tocado de maneira conjunta. Nós fizemos shows para mas de 20 mil pessoas e todas elas se prontificaram a aprender todas as músicas. O carinho que recebemos na Rússia nós nunca tínhamos recebido em toda nossa carreira. Nós não esperávamos, porque era uma abertura do show da Disturbed. A Rússia, automaticamente, se transformou na segunda casa da Noturnall. Aquelas três noites, até hoje, trazem bons frutos não só para nós, mas também para o metal nacional. Fazemos parte das bandas que servem de inspiração para outras. O metal brasileiro é uma das melhores coisas que temos por aqui, mas falta a grande mídia valorizar e dar mais espaço para isso. Blog Música Boa O show foi o primeiro com a formação atual da banda. Como foi a adaptação de todos os novos integrantes e qual o peso de gravar um DVD ao vivo antes de qualquer trabalho inédito em nova formação?

Thiago Bianchi Bom, o Henrique Pucci (baterista) e eu já tocávamos juntos desde a antiga formação e o Mike Orlando (guitarrista) já tinha feito uma turnê comemorativa conosco meses antes desse show na Rússia. Quando se deu a quebra da formação, eu fiz a ele o convite para continuar na banda e comentei sobre o Saulo (baixista). Nós três já meio que nós conhecíamos, mas com o Saulo, ninguém sabia como ia ser. Não poderia ter sido melhor, a gente ficou impressionado com o nosso desenvolvimento em cima do palco e a maneira que conseguimos trazer o público para o nosso show. Isso só acontece com uma banda entrosada em cima do palco. Nós queríamos fazer um show honesto, sem uma grande produção por trás. As vezes as bandas se apoiam em uma super produção para esconder um mal momento de envolvimento e sincronia em cima do palco. Foram três noites de um sonho realizado. Blog Música Boa

A tour realizada na Rússia, foi ao lado da banda norte-americana Disturbed. Como era a relação de vocês com o grupo?


Thiago Bianchi Foi incrível! Eles foram muito gente fina e nós só temos a agradecer a eles por tudo que fizeram por nós. Eles deixaram a gente muito a vontade e nos disponibilizaram 100% de todo o equipamento deles. Como nós tínhamos a ideia de fazer que o show fosse o mais simples possível, nós não usamos nem o telão. Os caras deixaram tudo pronto para que a gente chegasse lá e fizéssemos o melhor trabalho possível. Um beijo no coração para todo o pessoal do Disturbed.


O novo DVD da banda está disponível no YouTube e plataformas streaming

Blog Música Boa Shows de grande porte não são nenhuma novidade para a Noturnall. Em 2015 o grupo se apresentou no palco sunset do Rock In Rio. Como foi esse momento para a banda? Thiago Bianchi Foi um sonho! Eu queria deixar um grande beijo para o Zé Ricardo (curador do Rock in Rio), que foi o cara que acreditou na banda e nos colocou no palco sunset. Esse show foi muito marcante não só para nós, mas também para o púbico que não esperava toda a produção que nós levamos. Foi muito legal, eu chamei minha mãe para cantar uma música comigo, algo que até hoje é inédito no evento. Esse momento foi lindo para a história da banda. Dizem que as bandas que se apresentam no Rock in Rio sofrem uma maldição, no nosso caso nos deixou muito mais forte. Outra coisa muito legal foi a repercussão que esse show teve na mídia por conta de tudo que a gente trouxe para o evento, em relação a produção. Gostaria de deixar bem claro que estamos prontos para tocar novamente, nesse que é o maior festival de música da terra. Blog Música Boa De fato, o metal nacional é aclamado pelo mundo todo por suas canções, atitude, músicos de primeira linha e profissionalismo. Como vocês avaliam todo cenário metal no momento?

Thiago Bianchi

Eu acredito que se Bach e Mozart fossem vivos atualmente, eles seriam metaleiros. O metal é um dos estilos musicais de maior cultura e necessidade de estudo que existem para perfomar em alto nível. Os fãs são predominantemente exigentes. Isso é muito importante e seria muito bom que a mídia começasse a dar atenção para isso, por isso a Noturnall é uma banda está constantemente se reinventando.

Show da Noturnall no Rock in Rio 2015

Blog Música Boa O nosso blog tem sede na cidade de Araraquara – SP. No ano de 2017, a banda foi headliner do nosso tradicional festival, “Araraquara Rock”. Vocês se lembram de algo marcante desse show? Pretendem voltar a se apresentar na cidade em breve? Thiago Bianchi Olha, que legal! Foi um baita show, temos boas lembranças. Foi, inclusive, um dos primeiros shows com o Henrique Pucci na bateria. Estávamos aprendendo a ser uma nova banda e pela primeira vez sem o Aquiles Priester (Ex-Angra e Noturnall). Eu lembro de Araraquara com muito carinho, porque o público nos abraçou muito bem e nos fez nos sentirmos em casa. Foi uma das cidades que nos mostrou que nossa banda conseguiria se manter em alto nível. Blog Música Boa A banda lançou, em 2017, o álbum “9”, com uma proposta mais melódica e harmônica, mas sem deixar o som pesado de lado. Esse álbum mostra um amadurecimento da banda musicalmente? Considera ele o melhor da carreira? Thiago Bianchi Ele é o embrião do disco que estamos escrevendo agora. Nós já lançamos a música “Scream! For!! Me!!!”, com participação do Mike Portnoy. O “9” foi um começo e nos lembrou da nossa veia que vinha do metal melódico, que deixamos um pouco de lado com o passar do tempo. Foi muito gostoso ser abraçado pela galera e ver que tem tanta gente nos esperando nesse tipo de som que a gente faz. Nesse novo disco, temos uma outra participação especial que eu ainda não posso dizer o nome. É um guitarrista reconhecido internacionalmente que vai nos levar mais ainda para esse caminho melódico. Estamos muito ansiosos para que as pessoas possam ouvir esse novo disco e dizer o que elas acham. “Cosmic Redemption” foi uma boa apresentação disso, ela vai dar nome a esse novo álbum e foi nossa melhor desenvoltura na internet, com mais de 300 mil views no Youtube. Estamos muito ansiosos Blog Música Boa Diante do cenário pandêmico atravessado no momento, quais as maiores lições que músicos e pessoas em geral podem tirar de tudo isso?


Thiago Bianchi A pandemia nos ensinou a ter mais calma e paciência. O mundo está cada vez mais veloz e todo esse caos nos colocou de vez na internet, com o celular na cara o dia inteiro. Eu acho isso uma coisa negativa, a pandemia nos fez observar mais nossa família e aproveitar ficar mais em casa. Acho que, tirando o trabalho, não tem problema você ficar tanto tempo assim em casa. Quem puder ficar em casa, peço que curta sua família porque a vida é um sopro. Eu estou aproveitando esse tempo para fazer isso.