• Guilherme Moro

Entrevista: Bryan Behr fala sobre projeto audivisual divisor de águas em sua carreira

Quem estava aguardando ansiosamente o lançamento completo do audiovisual do Bryan Behr já pode comemorar. O registro marca a volta aos palcos do artista e o encontro com o público que aguardou, ansiosamente, um hiato de três anos, para esse momento.



Comovido e radiante, o cantor entregou aos fãs uma experiência inesquecível. As novidades não param por aí, já que ele disponibiliza o álbum com todas as canções do audiovisual nas plataformas digitais de música para deixar esse lançamento ainda mais especial e presentear seus fãs.


"Por se tratar de um projeto audiovisual focado nas imagens, ficou no radar (lançar o álbum, além do audiovisual), mas não tínhamos certeza se iríamos lançar nas plataformas. Os fãs mandaram muitas mensagens e foi um registro muito bonito e vimos que não tinha porque não lançar o áudio e fazer com que essas pessoas sentissem e revivessem tudo aquilo. Decidimos criar esse disco", revela Bryan Behr.


Com apenas três anos de carreira, o cantor já se tornou um fenômeno e referência ao emocionar “cantando estórias” da sua vida, através de suas músicas com melodias e letras marcantes, frutos de seu estilo musical livre, sem amarras.



A sonoridade de suas canções vem de um caldeirão de referências de diversos gêneros como pop, folk, rock e MPB.


Em 2018, ele lançou seu primeiro EP acústico, “Da Cor do Girassol”, e em 2019 já estava assinando seu contrato com a GTS e Universal Music Brasil, por onde veio o seu segundo trabalho, o “EP 2019”. Com mais de 150 composições na época, teve a difícil missão de escolher apenas 11 para entrar em seu primeiro álbum, “A Vida é Boa”, lançado em janeiro de 2020. As canções, apresentadas nesses dois trabalhos, ainda ganharam novas versões no formato voz e violão com clipes sensíveis, intimistas e com uma fotografia deslumbrante, que resultaram no álbum “Simples”, lançado em julho do mesmo ano.


"Quando eu comecei a escrever músicas, era uma coisa muito particular, sobre coisas que eu vivo e sobre como eu enxergo o mundo. Em algum momento, em comecei a entender a responsabilidade disso, pelo número de pessoas que se identificavam com aquilo", diz o artista sobre seu processo de composição.


Com mais de 960 mil ouvintes mensais no Spotify, 260 mil inscritos e 50 milhões de visualizações no YouTube, o cantor e compositor, encerrou 2021 com o EP “Capítulo 2”. O artista tem um fiel público ao seu lado, que o apoia em todas as circunstâncias.




"Pra mim é muito estranho chamar de fã, porque pra mim fã tem aquela coisa de admiração de o artista estar em um lugar e o público em outro. Essas pessoas se tornaram minhas amigas e quando você está no show cantando as músicas e olhando no olho delas, se cria uma energia que pra mim parece que eu só estou ampliando minha roda de amigos".


Sobre o novo projeto, ele finaliza:


"Meu discos ao vivo favoritos tem o mesmo som do DVD. Eu queria que as pessoas que estavam em São Paulo, revivessem aquela noite de alguma forma e saber que em algum momento as pessoas cantavam mais e em outro elas estava ouvindo mais".