top of page
  • Guilherme Moro

Conheça a banda Casa Civil e o disco de estreia “Deserto”

Com influências que vão do rock oitentista de Brasília, aos clássicos The Who e The Clash, o Casa Civil apresenta um primeiro álbum com doze faixas produzidas por Philippe Seabra da Plebe Rude, no Daybreak Studio, em Brasília. A gravação conto ainda com a participação de Paulo Veríssimo (Distintos Filhos) nas guitarras, Fred Ribeiro (ex- PUS) no baixo e do 'plebeu' Marcelo Capucci na bateria.



“Deserto” já está disponível nas principais plataformas digitais, e segundo o vocalista Bruno Santana, é carregado por composições que questionam as divisões e a decisão social aos quais estamos submetidos a negociações como indivíduos. “Fala muito sobre a luta pra preservarmos nossa essência diante de um imaginário político social totalmente corrompido, persuasivo e manipulador” , explica.




Após o lançamento do single “É Gol!” em lyric video, a banda escolheu a faixa “Primeiro Meu Dinheiro no Bolso” para divulgar o álbum. A letra questiona as promessas não ocorreram por políticos brasileiros. “Os que usam da persuasão e do mal caratismo pra enganar os compradores e depois de eleitos só pensam em si próprios. A música fala também de todo mecanismo criado pra sustentar esses malandros e aprisionar a sociedade nesse ciclo vicioso” , diz o vocalista.


Foto: Wilker Pulino

Além de Bruno Santana, a Casa Civil é composta por Léo Ciotti (baixo), Zéh Zuntana (guitarra) e Marcos Goi (bateria). Agenciados pelo experiente Cacá Prates, a banda pretende fazer uma série de shows pelo Brasil em 2023.

bottom of page