• Guilherme Moro

Claudio Lyra lança single "Deixa Eu Falar II"

Recentemente o cantor Cláudio Lyra lançou seu novo single, intitulado de “Deixa Eu Falar II”. Apesar de inédita, a música foi composta em 1996 e representa um momento determinante na carreira do artista: “Compus esta canção quando resolvi abandonar a carreira de engenheiro. Joguei tudo para o alto e mergulhei no desconhecido. Tem muito a ver como o momento agora, porém dessa vez não estou sozinho passando por uma mudança radical. Estamos vivendo um período de grandes transformações e precisamos ter muita coragem para enfrentar os momentos de incerteza que vêm por aí. Essa canção fala sobre isso, sobre mergulhar em águas nunca navegadas e jogar pro alto tudo que não dá pra resolver, por isso achei que fazia todo sentido gravar ela agora”.



Lançado pelo selo caravelas (Warner Music Brasil), o single marca uma ruptura de sonoridades que poderá ser compreendida de fato em seu novo álbum, que está programado para o início de 2021: “Meus dois primeiros discos têm uma pegada totalmente analógica. No disco novo o sintetizador é o elemento central. O que se manteve foi a busca pela brasilidade da minha música, sem, contudo, me prender aos purismos”.

“Deixa Eu Falar ll” é, de fato, uma música psicodélica, com uma sonoridade diferente das encontradas em discos anteriores do artista carioca. O novo álbum com certeza será uma reinvenção na extensa carreira do artista: “O que me levou a mergulhar na psicodelia é que a realidade está muito mais absurda do que a ficção. São tantas influências e estímulos externos que a razão não está dando conta. Resolvi então atuar na subversão lúdica. Temos que alimentar e libertar os nossos sonhos para nos mantermos sãos. Estou muito feliz e orgulhoso com este disco que estou produzindo agora. Em geral acontece isso, fico completamente tomado pelo processo criativo. É como estar apaixonado. Não tenho mais olhos para nada”.


Cláudio é sobrinho de Carlos Lyra, um dos precursores da Bossa Nova que tem mais de 70 anos de carreira. Viver de música e carregar o sobrenome Lyra é uma responsabilidade e tanto. Cláudio, ao invés de se sentir pressionado, usa da experiência do tio para receber sugestões na vida artística: “Acho que a principal coisa que aprendi com ele foi a importância da originalidade, de fazer as coisas do meu jeito. Outra influência dele, fundamental na minha realização musical, é a valorização da melodia como elemento central da composição. Quando comecei a fazer as minhas canções, tentava sempre seguir caminhos harmônicos muito complicados, achando que isso daria densidade para a música. Ele me mostrou que a harmonia está a serviço da melodia e não o contrário. Quando entendi isso, me senti muito mais livre para compor”.