• Guilherme Moro

Cantor e compositor HENZEE lança seu primeiro EP da carreira

O cantor e compositor HENZEE, uma das apostas da nova cena da música jovem brasileira e independente, acaba de lançar nesta sexta-feira (19), seu primeiro EP da carreira, “VOANDO PELA ÓRBITA DA TERRA”. O novo trabalho já está disponível em todas as plataformas digitais.



O EP traz uma temática ‘trash’, fala sobre paixões bregas e chega em uma pegada dos anos 80, 90 e 2000. Produzido por Ivok e Liz8bit, o lançamento mistura elementos orgânicos e sintéticos e mescla estilos musicais como o indie pop e o indie rock. Bandas que o cantor ouvia durante a adolescência foram grandes inspirações para a produção deste primeiro trabalho, como “The Naked and Famous” e “Foster The People”.


“Esse trabalho traz um pouco de rock, pop e outros estilos que moldaram minha personalidade. Sempre sonhei em ser um rockstar, nesse sentido de criação e tals, quando escrevo já imagino o clipe, as roupas que vou estar usando, a energia que quero passar, uma viagem mesmo” Sobre o nome do EP, ele conta: “‘VOANDO PELA ÓRBITA DA TERRA’ não é à toa. Às vezes eu me sinto meio ET, sei lá... Estou aqui nesse planeta só aprendendo a socializar e a música talvez seja o que me conecta com as outras pessoas. Eu sempre utilizei do escapismo como forma de sobreviver em um lugar onde sinto que não me encaixo. Sempre estive com a cabeça na lua”, explica o cantor e compositor.





Composto por cinco faixas, neste trabalho HENZEE traz letras autorais em que o artista tenta transmitir, de uma maneira bem transparente, que ao mesmo tempo é incrível e aterrorizante, se mostrar e despir do medo de não ser compreendido causa uma certa ansiedade. E que ainda assim sempre teve muita vontade de colocar isso tudo no mundo e mostrar o que aquele garoto quietinho e tímido tem a dizer.


As composições foram escritas em momentos diferentes da vida do cantor. O tracklist conta com uma ordem intencional, de forma que todas se encaixassem e mantessem uma narrativa. “O EP abre com a faixa ‘s!m’, que compus sobre quando conheci meu atual namorado. É fofa, às vezes até meio lúdica, descreve toda situação e como eu era inseguro e um pouco inocente, acho que esse lado predomina bastante na primeira parte do EP. As músicas exploram esse meu lado ingênuo, até que chega em ‘VOLTA?’, onde aparece um pouco de agressividade e revolta, um pouco de remorso pelas relações não correspondidas, ou correspondidas, só que de forma errada, ou no momento errado, o EP segue essa vibe até a última música ‘08’, onde tudo fica escuro, mas ainda tem uma esperança ali”, conta o artista.