• Guilherme Moro

Atriz Dandara Mariana participa do funk ‘Mas eu não vou voltar’ ao lado do músico e irmão Noah Nahas

O cantor e compositor Noah Nahas lança, nesta terça, dia 8, o single “Mas eu não vou voltar”, inspirado em uma história de amor e surf. Acompanhado pela irmã, Dandara Mariana, nos vocais, a música é um divertido feat, que mostra seu talento na música e no clipe que chega às plataformas digitais e ao canal oficial do cantor.


“Minha família é meu apoio e exerce grande influência artística. A minha música fala muito sobre a minha vivência, quem eu sou e no que acredito. É através da arte que eu me aproximo mais das pessoas, porque a música é capaz de chegar a lugares onde não posso estar. Para essa canção eu quis trazer um pouco do universo do surf, que tem tudo a ver com o que eu gosto de fazer nas horas livres”, conta o artista de 30 anos, filho do ator Romeu Evaristo e da consultora internacional Elizabeth Correa Nahas.


A irmã, a atriz Dandara Mariana, é só elogios ao irmão mais novo. “Sou uma grande admiradora do Noah. E ele, mesmo mais novo, é mais maduro que eu em vários aspectos. Mochileiro, já viajou e desbravou esse mundão e essa música fala sobre o momento em que ele foi viajar. E, quando ele me chamou para cantar, foi óbvio que eu aceitei”, comenta Dandara.



O clipe, produzido pela Roo Filmes, tem direção e roteiro assinados por Franco Ciamaroni e Erik Mascarenhas, além do próprio Noah, que trouxe como inspiração o documentário “Surf Adventures - O Filme", que acompanha a elite do surf brasileiro — os ídolos da atualidade, os atletas veteranos e os novos talentos — surfando as melhores ondas do mundo e conhecendo lugares exóticos e distantes.


“Eu me sinto muito grato por ter uma equipe tão especial e talentosa nesse trabalho comigo! É muito legal poder, por meio dos clipes, mostrar um pouco da minha personalidade e do meu estilo de vida”, comenta.


Noah Nahas começou a compor aos 22 anos, quando finalizou um funk sem nenhuma pretensão, mostrou aos amigos e fez o maior sucesso. Foi o empurrão que faltava para ele seguir e se entregar à carreira à nova carreira. Hoje, já conta com mais de 10 singles e tem um eclético grupo de bambas entre os artistas que mais exercem influência em sua carreira: de Charlie Brown Jr a Jorge Ben Jor passando por Claudinho e Buchecha, Racionais MC à Jovelina Pérola Negra.


“Meu processo de criação sempre começa através de uma frase que me marca. Eu anoto e fico esperando surgir a melodia. Isso pode ser na hora ou levar anos, como já aconteceu. Minha música é meu diário de bordo e meu manifesto de resistência. Através dela consigo comunicar a visão que eu tenho de mundo e trabalhar questões que me tocam, como o direito das mulheres e dos negros e a fome”.