top of page
  • Foto do escritorGuilherme Moro

Anavitória e Orquestra Ouro Preto fazem turnê pelo Sudeste

Toda a personalidade e beleza do trabalho da dupla Anavitória, somada à excelência e versatilidade da Orquestra Ouro Preto só poderia resultar em poesia para os ouvidos. O encontro entre Ana Caetano e Vitória Falcão e a formação mineira está de volta aos palcos após duas apresentações emocionantes, que renderam centenas de pedidos para que a experiência se repetisse. Atendendo aos fãs, a parceria fará apresentações em Belo Horizonte, Rio de Janeiro e São Paulo.



A turnê começa pela capital mineira, no dia 19 de novembro, às 19h, no Palácio das Artes, e segue para o Rio, com única apresentação no dia 26 de novembro, às 19h30, na Arena Jockey, encerrando a circulação na capital paulista no dia 3 de dezembro, às 19h30, no Espaço Unimed.


Nomes influentes da nova geração da música popular brasileira, com referências que passeiam pelo pop até o folk, a dupla conquistou o público e a crítica com a delicadeza de suas vozes e composições, além de acumular, em poucos anos de carreira, diversos prêmios e milhares de visualizações em todas as plataformas digitais. Somando agora a essa trajetória, um encontro com a música de concerto, emprestando a canções que arrastam multidões a musicalidade da Orquestra Ouro Preto sob a regência do maestro Rodrigo Toffolo.


Regente titular e diretor artístico da Orquestra, Toffolo destaca a qualidade artística das composições e do jeito de cantar de Anavitória. “Sou uma pessoa que gosta de música autoral, que gosta de novidade. Então, ver o que elas compõem, o jeito de cantar, é muito bonito, é muito verdadeiro, tudo muito harmônico”, ressalta o maestro. “E elas têm o poder muito forte de tocar as pessoas, de fazer com que todos saiam diferentes depois de escutá-las. Acho que isso é um dom”, acrescenta.


O setlist contempla sucessos como “Singular”, “Trevo (Tu)”, “Amarelo, Azul e Branco”, “Explodir” e muitos outros. A escolha das músicas partiu de uma curiosidade das duas artistas em descobrir como tais canções soariam com orquestra, já que pareciam sob medida para ganhar novas cores e possibilidades no encontro com os arranjos assinados por Paulo Malheiros. A sinergia entre o duo e a formação orquestral foi tanta que, depois do primeiro encontro, a colaboração segue nos bastidores e novas canções foram somados ao repertório que chega aos palcos agora.


“Amamos escutar as nossas músicas de um jeito diferente. Deu um frescor para a gente. Sentimos coisas novas cantando músicas que a gente canta há muito tempo”, confessa Ana Caetano. “A gente ficou muito honrada com esse convite. Nunca tínhamos feito um show nesse formato e foi muito especial. Fiquei muito feliz, meu coração ficou maravilhado”, complementa Vitória Falcão.


A Orquestra Ouro Preto, que tantas parcerias tem em sua trajetória com grandes ícones da música brasileira, como João Bosco, Alceu Valença, Fernanda Takai, Diogo Nogueira, entre outros grandes nomes, segue se desafiando na missão de misturar ritmos, estilos e gerações.


“Será uma grande alegria estar novamente com as Anavitória. É sempre bom estar ao lado da nova geração, cumprindo a nossa missão de democratizar o acesso à arte. Quem estiver conosco no concerto com certeza irá se surpreender com a potência dessa união e possivelmente sairá com o desejo de conhecer ainda mais sobre a música orquestral”, garante Toffolo.

bottom of page