top of page
  • Foto do escritorGuilherme Moro

Agentss, banda de Pós-Punk Paulista, tem obra relançada em vinil de luxo

O Big-Bang do Pós-Punk Paulista. Um projeto nascido no começo dos anos 80 em uma São Paulo industrial, sob uma ditadura militar e com ambições de buscar novos caminhos na música brasileira.



Assim foi a Agentss, banda seminal do pós-punk brasileiro e que, com seu olhar futurista, trouxe canções que soam modernas e vanguardistas quarenta anos depois de suas gravações originais. A obra do grupo é relançada em dois LPs de 12" com as gravações de estúdio originais lançadas em compacto junto de gravações ao vivo restauradas. O disco está em pré-venda no site da Nana Nada Discos e em 05/06 chega para audição no Bandcamp do selo.


“O primeiro passo foi digitalizar as fitas. Tinha rolo de 1/4" e cassetes. Nesse processo o medo é que a fita rompa ou descasque. Felizmente estavam em boas condições. Uma vez digitalizado escutamos tudo várias vezes e escolhemos o que entraria no LP, respeitando a limitação de tempo suportado. Com as músicas e a ordem das mesmas escolhidas, a masterização ficou a cargo do Homero Lotito da Reference Mastering Studio”, conta Miguel Barella, guitarrista e co-fundador da banda.


Membro do Blue Beast, Miguel recentemente viu outro projeto seu, o Ratos do Beco, ganhar um trabalho sonoro e histórico parecido. Esse olhar pro passado inspira os caminhos que ele faz no presente. “Foi muito legal relembrar os shows e coisas da época. Ficamos surpresos com as músicas em termos de composição e arranjos, tudo muito na frente do tempo”, reflete ele.


Com um núcleo formado por Barella, Kodiak Bachine (vocal, teclados e synths) e Eduardo Amarante (guitarra), a Agentss existiu entre 1981 e 1983 e tiveram a colaboração de Thomas Susemihl (baixo), Elias Glick (bateria), Lyses Pupo (baixo), Luiz Portela (baixo), Armando Tibério (bateria) e Roberto L. Antonio (bateria).


O curtíssimo tempo do projeto não diminui o impacto de inspiração para uma geração de artistas que tiveram, além de fomentar uma cena em criação. Fruto do porão da casa de Miguel, onde também passariam projetos como a Gang 90 & Absurdettes e os Voluntários da Pátria, a Agentss é um retrato de uma São Paulo do começo dos anos 80.


Comments


bottom of page