• Guilherme Moro

A anatomia de um hit: saiba como criar uma música de sucesso

Ao longo do tempo, a tecnologia vem sendo utilizada com grande poder para mapear as emoções e o comportamento do público, transformando essas informações em estratégias de marketing e essas informações podem até mesmo ajudar nas composições de músicas.



Afinal, a música é um setor que gera muito dinheiro e os artistas e demais envolvidos precisam se destacar em um mercado com uma variedade enorme de concorrentes.


Hoje é possível saber que tipo de música um determinado público gosta e isso é utilizado para criar hits e até mesmo produtos relacionados aos artistas. Um exemplo disto é o meio do kpop, que além de músicas produzem bonecos, maquiagem, roupas e diversas outras coisas envolvendo a marca (grupo de kpop).


Esta forma de “vigiar” o público é usada em todos os setores da indústria. É assim que a indústria automobilística lança novos modelos de carros todos os anos. É assim que as marcas de alimentos lançam novas linhas de produtos e é assim que a indústria da música lança músicas. Ao compor uma música, o artista já deve estar atento a estes aspectos.



Imagem: Pixabay

Quais tipos de músicas se tornam hit?


Quando se trata de letras, a maioria dos hits são voltados para o amor. Normalmente, este tipo de hit costuma explodir no verão. De forma geral, os hits tendem a se afastar de temas políticos, evitando linhas de pensamento conflitantes.


Outro aspecto do hit é a rápida chegada do refrão e sua repetição ao longo da música. E quando se trata de repetição, não são apenas músicas, mas elementos da música.



Riffs, harmonias, não importa, quanto mais repetitivos forem os elementos de uma música, maior a probabilidade de você memorizá-la. Sem mencionar, é claro, o período de tempo que precisa ser curto.


Não é por acaso que algumas músicas ficam "presas" na cabeça das pessoas, gostem ou não. Os "hits", que muitas vezes atingem simultaneamente em vários lugares do mundo, são pensados ​​para ter esse tipo de efeito.


Além dessas características gerais, existem "ingredientes" específicos que têm funcionado. Por exemplo, as músicas hoje em dia são curtas porque acredita-se que ninguém mais tem tempo ou paciência para ouvir músicas longas.


Como a tecnologia mudou a forma de consumo da música


A forma como consumimos música mudou há muito tempo. Não só o uso mudou, mas também as técnicas de distribuição, que tomaram um novo rumo nunca antes pensado. Sem falar em como medir o sucesso de uma música e o que a torna um sucesso.


Desde a chegada dos serviços de streaming de música, o método de mensurar a grandiosidade de um artista e de premiá-lo passou a ser contado pelo número de vezes que é ouvido nos aplicativos.



Essas plataformas facilitam muito a vida dos amantes de música, se antes era necessário reservar um lugar na prateleira para um CD player e vários CDs, agora é possível adicionar várias discografias à memória do aplicativo com apenas um clique.


Já para os músicos, a revolução trouxe a necessidade de estar totalmente inserido no mundo digital, ter perfil nos principais serviços de streaming deixou de ser o único meio. Em um mercado competitivo, cada artista precisa fazer o algoritmo funcionar para que sua música possa ser levada a mais pessoas.


Além dos serviços de streaming, as redes sociais também são importantes aliadas no momento de lançar uma nova música.


Hoje o poder das redes sociais para fazer o sucesso de música é ainda mais claro. Um bom exemplo é o #WAPChallenge que viralizou nas redes sociais e fez a cantora Cardi B aumentar o número de seguidores no Spotify.


Em resumo, o grande segredo para criar um hit é estar atento às tendências do momento, ficar de olho no que o público está consumindo e estar presente nas redes sociais.


Gostou deste artigo? compartilhe em suas redes sociais para que mais pessoas conheçam a anatomia de um hit.


Posts recentes

Ver tudo